PUBLICIDADE

Em alerta com segurança, FIA faz análise ampla de incidente entre Hamilton e Verstappen

Michael Masi, diretor de provas da FIA para a Fórmula 1, disse que as consequências do polêmico incidente entre Lewis Hamilton e Max Verstappen em Monza já estão sendo analisadas pela entidade. A ocorrência foi considerada incomum pelo australiano

14 set 2021 06h38
ver comentários
Publicidade
Lewis Hamilton e Max Verstappen bateram de novo e abandonaram o GP da Itália
Lewis Hamilton e Max Verstappen bateram de novo e abandonaram o GP da Itália
Foto: Beto Issa / Grande Prêmio

A forma como aconteceu o polêmico incidente entre Max Verstappen e Lewis Hamilton na volta 26 do último GP da Itália chamou a atenção da FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Em disputa na curva 1, na chicane do circuito de Monza, os dois rivais na luta pelo título se chocaram, e o carro da Red Bull ficou encavalado ao da Mercedes, e a roda traseira do bólido de Verstappen chegou a acertar o capacete de Hamilton, que teve a vida salva pelo halo.

Michael Masi, diretor de provas da FIA para a Fórmula 1, disse que a entidade está em alerta em razão das consequências incomuns do episódio do último domingo e já começou uma análise mais profunda sobre o caso. A investigação em si não se trata do mérito de quem foi o culpado — os comissários entenderam que Verstappen causou a colisão —, mas sim tem o objetivo de melhorar e aperfeiçoar a segurança dos pilotos, tema constante debatido pela FIA.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Imagem aproximada mostra como halo salvou vida de Lewis Hamilton em acidente com Max Verstappen
Imagem aproximada mostra como halo salvou vida de Lewis Hamilton em acidente com Max Verstappen
Foto: AFP / Grande Prêmio

"Incidentes que são diferentes, não necessariamente com grandes impactos de força G ou algo do tipo, mas que são incomuns, nós analisamos. Nosso Departamento de Segurança os examina em detalhes, investiga e vê o que podemos aprender e o que podemos melhorar para o futuro", explicou o australiano em entrevista coletiva no último domingo na Itália.

"É assim que temos muitos dos recursos de segurança que temos hoje e vamos continuar a evoluir no futuro. Já estamos coletando todas os dados, então temos as informações, e todas elas vão para nosso Departamento de Segurança, junto com as fotos e tudo o mais que tivermos pelo caminho", salientou Michael Masi.

O halo, aliás, foi exaltado por Hamilton. Ainda com dores no pescoço em razão do impacto da roda do carro da Red Bull em razão do incidente, o heptacampeão se mostrou grato por estar vivo e bem.

"Sinceramente, posso me considerar muito feliz hoje. Graças a Deus pelo halo que, no fim das contas, me salvou e salvou meu pescoço. Acho que nunca fui atingido antes na cabeça por um carro e é um grande impacto para mim. Não sei se você viu a imagem, mas minha cabeça estava muito inclinada para a frente. Estou há muito tempo competindo aqui e estou muito, muito grato por ainda estar aqui", disse.

"Acho que a Angela [Cullen, sua fisioterapeuta pessoal] vai viajar comigo nos próximos dias. Provavelmente, vou precisar de um especialista só para garantir que esteja bem para a próxima corrida. Parece que está piorando um pouco, já que a adrenalina está passando, mas vou trabalhar com a Angela para acertar isso. Vou viver", sorriu o heptacampeão mundial ao encerrar.

GUERRA NA F1! VERSTAPPEN E HAMILTON BATEM DE NOVO E RICCIARDO VENCE NA ITÁLIA | PADDOCK GP #256

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade