PUBLICIDADE

Chefe da Red Bull diz que "titã" Hamilton jamais teve adversário como Verstappen na F1

Na visão de Christian Horner, chefe da Red Bull, Max Verstappen impõe a Lewis Hamilton "grau de intensidade" jamais deparado pelo britânico numa disputa pelo título

21 out 2021 06h35
ver comentários
Publicidade
Verstappen x Hamilton: o grande duelo da F1 em 2021
Verstappen x Hamilton: o grande duelo da F1 em 2021
Foto: Dan Mullan/Getty Images/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

VERSTAPPEN 'COMPRA' NAMORADA. F1 DETERMINA DRESS CODE. MULHER SENDO TRATADA ASSIM? | TT GP #35

O fim de semana do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1 marca a abertura da reta final da temporada, com seis GPs pela frente neste desfecho de campeonato. A luta pelo título segue completamente indefinida entre Max Verstappen e Lewis Hamilton. O holandês lidera o Mundial de Pilotos com 6 pontos de vantagem para o heptacampeão.

Ao longo da sua carreira, Hamilton já teve grandes adversários na disputa por um campeonato: foi assim com Fernando Alonso no seu ano de estreia na McLaren, em 2007, ou com Felipe Massa, em batalha que foi até o fim em 2008. Ou mesmo com Nico Rosberg, seu ex-companheiro de equipe na Mercedes, com quem travou uma enorme rivalidade até o fim de 2016, encerrada depois do título do alemão. Mas na visão de Christian Horner, chefe da Red Bull, nada se compara à intensidade que Verstappen impõe a Lewis nesta temporada no grande confronto da Fórmula 1 nos últimos anos.

"Acho que, inevitavelmente, sempre haverá uma evolução. Lewis teve uma carreira incrível e ainda está numa forma fantástica. Ele ainda é um titã do esporte", declarou o dirigente britânico em entrevista ao jornal The Guardian.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Max Verstappen e Lewis Hamilton travam o grande confronto da F1 em 2021 (Foto: AFP)

"O fato de Max conseguir ficar cara a cara com ele é provavelmente algo que Lewis não teve ao longo da sua carreira. Certamente, [não teve] ao longo dos últimos anos. Nada com esse grau de intensidade", opinou.

"Obviamente, há muito em jogo para ele, já que ele está na luta por um oitavo título, um recorde, enquanto Max está lutando pelo seu primeiro e sabe que ainda tem muitos anos pela frente", acrescentou Horner.

Na visão do chefe da Red Bull, bater a Mercedes na luta pelo título nesta temporada, diante do tamanho poderio da equipe chefiada por Toto Wolff, grande força da Fórmula 1 desde o início da era híbrida, em 2014, será a maior glória dos taurinos no esporte.

"Será nossa maior conquista. Se você olhar para a força da Mercedes e para o domínio que eles têm, fica claro que ninguém chega perto deles há anos. Ninguém os colocou sob esse tipo de pressão nesta fase da temporada. Portanto, vai ser uma conquista enorme se conseguirmos", salientou.

Na linha do 'contra tudo e contra todos', Horner entende que há uma campanha nos bastidores para que a Red Bull não seja campeã. Até mesmo também por isso, o dirigente entende que uma eventual conquista contra a Mercedes seria maior até mesmo que os anos de domínio taurino, estabelecido entre 2010 e 2013.

"Na comparação com os anos de título, quando competimos contra a Ferrari e a McLaren de 2010 a 2013, foi algo muito diferente. Há muito mais coisas acontecendo nos bastidores, uma campanha constante da FIA em todos os aspectos do nosso carro", disse Christian, que lembrou aspectos em que a Red Bull foi colocada em xeque ou que foi prejudicada, como no caso das novas diretivas para pit-stops.

"Você tem de se defender se for atacado, como nós fomos desde o começo do ano — seja com o conceito de aerodinâmica, seja com [as diretivas da] FIA para os pit-stops ou outros aspectos do chassi", concluiu.

A Fórmula 1 acelera com o GP dos Estados Unidos neste fim de semana, entre sexta-feira e domingo, no Circuito das Américas. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

OS PONTOS FRACOS E FORTES DE MERCEDES E RED BULL NA RETA FINAL DE 2022

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade