PUBLICIDADE

Alpine se compromete com F1 e acerta futuro com Ocon. E destrava mercado de pilotos

A Alpine não esperou muito para anunciar um segundo vínculo com Esteban Ocon. A manobra é uma prova da confiança da equipe no francês, mas também em um projeto de longo prazo na Fórmula 1. O acerto ainda deixa claro o que deve acontecer na Mercedes

16 jun 2021 17h38
| atualizado às 17h59
ver comentários
Publicidade
Esteban Ocon está confirmado na Alpine até 2024
Esteban Ocon está confirmado na Alpine até 2024
Foto: Beto Issa / Grande Prêmio

A primeira grande peça do tabuleiro que forma o grid da Fórmula 1 para 2022 (não só) foi encaixada. É bem verdade que as especulações sobre um novo vínculo já vinham esquentando o noticiário desde o GP de Mônaco, mas só agora veio a confirmação de que a Alpine seguirá sendo a casa de Esteban Ocon até 2024. Curiosamente, o anúncio acontece às vésperas do GP da França, mas esse detalhe pouco tem a ver com a razão pela qual a equipe francesa ratifica a renovação do contrato com Ocon neste momento. Essa é uma manobra cheia de significados, não só para o time em si, mas para como as coisas devem se desenrolar a partir de agora no Mundial.

É importante dizer aqui que a Alpine toma uma decisão correta ao garantir Esteban em suas garagens por mais tempo. O piloto francês vive um início de temporada impressionante, depois de um 2020 muito difícil. O jovem ingressou na Renault no campeonato passado, após um ano parado e precisou lidar não só com a adaptação ao carro e ao time, como também a um forte Daniel Ricciardo. Mas Esteban foi paciente e não se deixou abater. A recompensa veio com um surpreendente, mas excelente pódio na etapa do Sakhir, já na parte final do calendário.

O ponto aqui é que o gaulês carregou consigo esse momento em 2021. Mesmo diante de um Fernando Alonso de volta à Fórmula 1, Ocon não se deixou intimidar. Ao contrário, ainda usa a presença do bicampeão a seu favor. Joga a pressão para o mais experiente, enquanto vai mostrando melhor adaptação e controle da situação. Em que pese o GP do Bahrein, Esteban exibe bela atuação em Ímola, vai ao Q3 e termina nos pontos, sendo sempre mais veloz que Alonso. Em Portugal, dá mais um passo à frente, com a sexta colocação no grid e o sétimo posto na prova. Na Espanha, marca território com o quinto lugar na largada, mas tem de driblar uma atrapalhada estratégia da equipe. Ainda assim, pontua. Já o espanhol foi apenas o 17º. Em Mônaco, Ocon ainda salvou a Alpine com um novo top-10.

Esteban Ocon fechou um longo contrato com Alpine
Esteban Ocon fechou um longo contrato com Alpine
Foto: Alpine / Grande Prêmio

É justo falar que o GP do Azerbaijão foi a redenção de Alonso, mas também uma exceção. Enquanto Esteban enfrentou uma falha do motor e abandonou, o asturiano viveu um grande final de corrida, para alcançar a sétima posição e superar o companheiro na tabela de classificação. Ainda assim, é possível afirmar que Ocon vem sendo mais veloz que Fernando consistentemente. E que não sentiu o peso do veterano. Alonso, inclusive, chegou a reconhecer a falta de ritmo no momento da definição do grid e que, só agora, se vê mais adaptado ao desempenho em corrida.

Além disso, o espanhol elogiou o Ocon mais de uma vez, o que também chamou a atenção dos chefes da Alpine. Esteban é um piloto forte na pista e fora dela, especialmente quando se sente à vontade. E aqui há um ponto interessante: crescendo ao lado dos compatriotas, Esteban tem a chance em um futuro breve ter o time todo ao seu redor, como acontece com a Red Bull e a Ferrari, por exemplo, com Max Verstappen e Charles Leclerc, respectivamente. É uma união também emblemática ter um piloto francês em uma equipe francesa. Vende bem.

E acima de tudo, Ocon parece pronto para liderar o time e é o tipo de competidor que a marca francesa precisa para levá-la ao futuro. E isso por si só já justifica a contratação de longo prazo. Em um cenário mais amplo, as qualidades do francês jamais foram desprezadas pelo empresário e chefe da Mercedes, Toto Wolff, tanto que o jovem esteve na lista de candidatos a um lugar na esquadra mais vitoriosas das últimas temporadas.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Toto Wolff tem uma decisão a tomar na Mercedes
Toto Wolff tem uma decisão a tomar na Mercedes
Foto: AFP / Grande Prêmio

Até por isso a Alpine precisou se mexer ou poderia correr o risco de perder o piloto. Portanto, o contrato com Ocon é uma declaração de confiança na capacidade do francês, mas também de grande compromisso com a Fórmula 1.

Só que a manobra também força outras discussões. A primeira delas tem a ver com a própria equipe heptacampeã. Se Esteban, antes cortejado, agora tem um vínculo firmado, significa que a esquadra de Wolff muito provavelmente já bateu martelo em favor de Russell, piloto que Wolff também vem cuidando há tempos. Portanto, não é de se surpreender que esse passo também seja dado muito em breve, destravando de vez o mercado de pilotos da Fórmula 1.

Mas tem um outro lado: o longo compromisso de Ocon fecha a porta, ao menos por ora, para Pierre Gasly. Apesar de Helmut Marko, o controverso consultor da Red Bull, assegurar que o jovem tem um vínculo de anos com a AlphaTauri, Gasly já deixou claro que gostaria de pular fora. A Alpine era uma opção interessante, mas que agora terá de esperar.

De toda a forma, Ocon optou pelo certo ao invés de esperar pelo duvidoso. E a Alpine assina para tirá-lo do mercado, e isso diz muito.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade