PUBLICIDADE

Alfa Romeo escapa de Haas e Williams e vive em categoria própria na Fórmula 1 2021

Após conquistar dois pontos nas últimas duas corridas, a Alfa Romeo se desgarrou de Haas e Williams no fim do grid, projetando-se a um patamar exclusivo na Fórmula 1, distante da rabeira e longe do pelotão intermediário

11 jun 2021 04h02
ver comentários
Publicidade
Kimi Räikkönen foi aos pontos pela primeira vez em 2021 no GP do Azerbaijão. O finlandês terminou na décima posição
Kimi Räikkönen foi aos pontos pela primeira vez em 2021 no GP do Azerbaijão. O finlandês terminou na décima posição
Foto: AFP / Grande Prêmio

Antepenúltima colocada no Mundial de Construtores, a Alfa Romeo deixou o Azerbaijão com a sensação de que poderia mais. O C41 mostrou evolução sólida tanto nas mãos de Kimi Räikkönen quanto nas de Antonio Giovinazzi, que alcançaram a zona de pontos nas duas últimas corridas, além de presenças no Q3 da classificação. Se comparada a Haas e Williams, as duas frequentadoras da rabeira da F1, a equipe ítalo-suíça aparece em vantagem e com um desempenho em ascensão, depois de um início de temporada complicado.

E as duas provas de rua confirmaram esse salto de qualidade dos carros de Frédéric Vasseur. Em Mônaco, Giovinazzi surpreendeu ao ingressar no Q3, enquanto que, na corrida no Principado, o italiano marcou seu primeiro ponto da temporada com o décimo lugar. O finlandês chegou logo atrás, em 11º. "Nós marcamos um ponto, creio que foi bom para Antonio também, agora mais confiante em seu potencial. Para a equipe, foi ok. Estamos melhorando passo a passo, a cada fim de semana. E isso é o mais importante para mim", disse Vasseur.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Antonio Giovinazzi bateu na trave, terminou em 11º e não somou pontos no GP do Azerbaijão
Antonio Giovinazzi bateu na trave, terminou em 11º e não somou pontos no GP do Azerbaijão
Foto: Alfa Romeo / Grande Prêmio

Nas ruas da capital azeri, sede do GP do Azerbaijão, mais uma vez a Alfa Romeo foi aos pontos, agora com Räikkönen, décimo colocado, com o companheiro logo no encalço. A dupla do time da marca italiana, inclusive, na parte final da corrida em Baku, após a saída do safety-car, chegou a engolir a Mercedes de um apagado Valtteri Bottas, mas é de se reconhecer o ótimo ritmo da esquadra novamente.

"Foi bom sair com um ponto. Foi surpreendente difícil ultrapassar aqui (Baku). Alcançar quem estava à nossa frente foi relativamente fácil, mas não dava para passar. A relargada depois da bandeira vermelha causou uma confusão: poderíamos ter terminado ainda melhor, mas dava para tudo dar errado também. Vamos aceitar esse ponto", comentou o campeão de 2007.

Já Giovinazzi, apesar de ter ficado atrás do companheiro, sem pontuar, destacou a conquista de Räikkönen e analisou a corrida, comemorando a sequência de pontos obtida pela Alfa Romeo. Larguei bem e voltei para a briga por pontos logo de cara. Não foi uma corrida fácil, eu tive um pequeno problema com os freios, o que não é ideal numa pista assim, mas o ritmo foi bom. Paramos cedo para fazer o undercut em alguns rivais, mas, depois disso, ficou tudo bem quieto até a bandeira vermelha. Na relargada, ganhei posições na curva 1, mas toquei com o carro de Daniel Ricciardo na curva 2. Creio que tiramos tudo que dava da corrida, especialmente largando em último, mas terminamos perto dos pontos. Corrida doida, mas temos de ficar felizes pelo ponto de Kimi. A segunda corrida seguida com pontos para a equipe", afirmou o italiano.

+A classificação da Fórmula 1 após o GP do Azerbaijão

Do ponto de vista do campeonato, a Alfa Romeo ainda se encontra no fim do pelotão: muito acima das zeradas Haas e Williams, mas abaixo da Alpine, sétima colocada, com 25 pontos. É uma evolução passo a passo, portanto. A equipe promoveu atualizações pontuais, mais certeiras, muito ligadas ao que a Ferrari fez também, especialmente em termos de unidade de potência. Como a parceira de Maranello, a esquadra também tirou proveito de uma melhor adaptação aos circuitos de rua.

As chances de alcançar a Alpine, no entanto, ainda parecem complexas. Porém, o que se vê na pista após as corridas em Mônaco e Baku é que a Alfa Romeo também escancara os péssimos projetos de Haas e Williams, que se encontram sozinhas agora na briga para decidir quem será a pior de 2021.

A Alfa Romeo agora se apronta para o GP da França, no dia 20 de junho. Uma pista muito diferente, sim, dos traçados que içaram a equipe a um novo patamar. As dificuldades certamente vão surgir pela própria característica do carro, porém, o time parece estar na direção certa para entrar de vez na briga no pelotão da F1 'B'. Por enquanto, a escuderia anda quase em uma categoria própria.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade