PUBLICIDADE

Alfa Romeo crê em ajuda "crucial" de Bottas a Zhou: "É responsável pelo companheiro"

Chefe da Alfa Romeo, Frédéric Vasseur opinou que responsabilidade de Valtteri Bottas na Alfa Romeo será consideravelmente mais pesada do que na Mercedes e espera que experiência do finlandês seja válida também a Guanyu Zhou

9 jan 2022 10h05
| atualizado às 10h23
ver comentários
Publicidade
Valtteri Bottas e Frédéric Vasseur conversam no GP da Bélgica de 2020
Valtteri Bottas e Frédéric Vasseur conversam no GP da Bélgica de 2020
Foto: Alfa Romeo / Grande Prêmio

SAINZ BRILHANTE E ALONSO ACIMA DO ESPERADO: OS ESPANHÓIS NA F1 EM 2021

Valtteri Bottas terá um desafio completamente diferente na Fórmula 1 em 2022. Após cinco anos como 'fiel escudeiro' de Lewis Hamilton na Mercedes, o finlandês terá a responsabilidade de liderar a Alfa Romeo ao lado do único estreante do grid, o chinês Guanyu Zhou. E o seu novo chefe de equipe em 2022, Frédéric Vasseur, acredita que o trabalho será significativamente mais árduo do que na escuderia de Toto Wolff. Isto porque, na equipe de Hinwil, o #77 não terá Hamilton ao seu lado para garantir pontos.

"A responsabilidade é muito maior", apontou Vasseur. "Se você for olhar, a Mercedes venceu os últimos seis ou sete campeonatos [a equipe alemã, na verdade, foi campeã dos últimos oito Mundiais de Construtores]. Às vezes, apenas com os pontos de Lewis [Hamilton], eles seriam uma equipe campeã. Significa que quando você é companheiro de Lewis, você está na sombra", afirmou.

Bottas entrou como titular na Fórmula 1 em 2013, pela Williams. Seu primeiro companheiro de equipe foi o venezuelano Pastor Maldonado, em parceria que durou um ano. Em 2014, 2015 e 2016, a dupla de Valtteri na equipe de Grove foi o experiente brasileiro Felipe Massa, antes da mudança para a Mercedes em 2017. Assim, Zhou será o primeiro companheiro com menos experiência que o finlandês terá na carreira.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Valtteri Bottas ganhou o macacão azul como presente de despedida da Mercedes e parte para a Alfa Romeo (Foto: Mercedes)

"Você não sabe qual é a expectativa. Tudo bem, precisa fazer o melhor, mas não existe uma responsabilidade absurda", continuou. "Acho que agora, Valtteri [Bottas] está em um ponto de sua carreira em que consegue suportar isso", opinou.

Por fim, o francês adiantou que espera funções de Bottas que não dizem respeito apenas à pilotagem ao longo da temporada na Fórmula 1 — por sinal, a maior da história da categoria. O dirigente quer participação do finlandês em diversas frentes na equipe, e conta com a experiência de quem venceu os últimos cinco Mundiais de Construtores para impulsionar a Alfa Romeo ao sucesso.

"Valtteri não é apenas o piloto, é responsável pelo desempenho do companheiro de equipe", explicou Vasseur. "Quero dizer que precisa trazer o companheiro com você, precisa participar com a engenharia, na fábrica, no túnel de vento, motivar o piloto do simulador", listou o chefe da Alfa Romeo.

"Se você acha que alguém está um pouco abaixo durante dez semanas seguidas, dá para chegar na pessoa e falar 'ei, vamos acordar, vamos para cima'. Essa posição é crucial", apontou. "E Valtteri está pronto para tudo isso", encerrou.

Guanyu Zhou será piloto da Alfa Romeo e único estreante da F1 em 2022 (Foto: Alfa Romeo)

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade