PUBLICIDADE

Retrospectiva 2021: Castroneves derrota Palou e vence Indy 500 pela quarta vez

Aos 46 anos, Helio Castroneves venceu o duelo contra o garoto Álex Palou e finalmente completou o sonho de chegar ao panteão dos tetracampeões das 500 Milhas de Indianápolis

14 dez 2021 05h30
ver comentários
Publicidade
Helio Castroneves venceu as 500 Milhas de Indianápolis
Helio Castroneves venceu as 500 Milhas de Indianápolis
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

INDY 2021: HELIO CASTRONEVES CONTA TODOS OS DETALHES DA 4ª CONQUISTA EM INDIANÁPOLIS | Briefing

É impossível fazer a Retrospectiva 2021 da Indy sem falar de uma épica edição das 500 Milhas de Indianápolis. O público retornou ao Brickyard depois da ausência por conta da pandemia de Covid-19 em 2020, e os presentes nas arquibancadas foram premiados com uma das batalhas mais épicas dos últimos anos, contrariando quem achava que a corrida não era mais a mesma depois da introdução do kit aerodinâmico IR-18, em 2018.

E os protagonistas desta história são de gerações completamente diferentes, com 22 anos de idade de diferença. Helio Castroneves, até então tricampeão da corrida e pela primeira vez disputando a Indy 500 longe da Penske. Após deixar a equipe, fechou com a Meyer Shank, time modesto que construiu espaço ao longo dos anos. Do outro lado, o espanhol Álex Palou, a grande sensação do ano, que eventualmente se tornou o campeão da temporada, guiando pela Ganassi.

Antes deles, o protagonismo esteve com diferentes nomes. O principal deles era Scott Dixon, hexacampeão e na busca incessante por um novo triunfo na Indy 500, já que o único aconteceu 13 anos atrás. Ele liderou quase todos os treinos livres e anotou a pole, mas a corrida mostrou um cenário diferente logo na primeira volta, com os garotos Colton Herta, da Andretti, e Rinus VeeKay, da Carpenter, se dividindo na liderança. Castroneves, que foi ao Fast Nine, rapidamente surgiu em quinto.

Helio Castroneves venceu a Indy 500 pela quarta vez (Foto: IndyCar)

A história da corrida começou a mudar na volta 34, quando Stefan Wilson bateu sozinho nos boxes e causou uma bandeira amarela. Dixon precisou de um pit-stop de emergência por conta de uma pane seca e ficou parado nos boxes, perdendo uma volta e dando adeus para a chance de vitória. Algo semelhante aconteceu com Alexander Rossi e Tony Kanaan.

Colton Herta, Rinus VeeKay, Conor Daly, Helio Castroneves e Álex Palou passaram a formar o top-5 depois da relargada. Herta, VeeKay e Daly perderam ritmo com o tempo, e um novo nome se juntou para a briga: Pato O'Ward. A amarela causada por Graham Rahal, que bateu após uma das rodas de seu carro se desprender, criou um roteiro importante para as 75 voltas que restavam: Palou, Castroneves e O'Ward eram os candidatos a vencer.

E foi assim que a reta final se desenrolou. Eventualmente, O'Ward perdeu força e a batalha ficou exclusiva entre Castroneves e Palou. Experiente, o brasileiro soube atacar na hora certa, e com um movimento ousado na curva 1, no início da penúltima volta, tirou o espanhol da frente e partiu para vencer pela quarta vez, levando o público presente ao delírio e celebrando como uma criança. O objetivo foi finalmente alcançado depois de 12 anos de espera e de derrotas difíceis.

OS MELHORES E OS PIORES DE MOTOGP E INDY + AS FINAIS DE F2 E STOCK CAR

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade