PUBLICIDADE

Power traça melhora em classificação como meta da Penske em 2022: "Sofremos em 2021"

Campeão da Indy em 2014, Will Power definiu que meta de 2022 será melhorar seu ritmo de classificação com a Penske após vencer apenas uma corrida na última temporada

10 jan 2022 12h59
| atualizado em 11/1/2022 às 04h02
ver comentários
Publicidade
Will Power detectou problema em ritmo de classificação de 2021
Will Power detectou problema em ritmo de classificação de 2021
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

O QUE QUEREMOS VER NA PRÓXIMA TEMPORADA DE 'DRIVE DO SURVIVE'?

Will Power parece ter encontrado seu principal defeito na temporada 2021, que o limitou a apenas uma vitória em todo o ano na disputa pelo título da Indy. De acordo com o piloto da Penske, é necessário encontrar o equilíbrio ideal entre a velocidade nas classificações e nas corridas — que acabaram recebendo um foco bem maior da equipe e do piloto, de acordo com o próprio campeão de 2014. Apesar da atenção, no entanto, o carro #12 venceu apenas uma vez, no GP de Indianápolis, 12ª etapa do ano.

"Eu definitivamente preciso melhorar na classificação", admitiu Power em entrevista ao site britânico Autosport. "Nós meio que resolvemos isso no final do ano. Até aquele momento, eu diria que nós botamos um pouco menos de ênfase na classificação porque poderíamos ver que a chave para o campeonato, do jeito que a Indy está apertada agora, é conseguir vários top-3 e top-5 nas corridas, e obviamente tentar a vitória quando for possível", explicou.

"Mas a verdade é que você não pode deixar nada de fora na classificação porque você cai demais [no grid de largada]", pontuou Power. "Especialmente porque foi um ano em que nós sofremos para encontrar uma boa colocação para o carro", admitiu.

Will Power vê principal defeito em ritmo de classificação e acredita que melhora pode impactar em vitórias (Foto: IndyCar)

O piloto trabalhou em conjunto com seu engenheiro, Dave Faustino, para tentar solucionar a situação a partir da metade da última temporada — e novamente após o encerramento do ano. De acordo com Power, a dupla conseguiu algumas boas ideias que podem trazer uma subida de rendimento em 2022.

"Temos bastante informação para analisar, e quando você faz isso, você encontra várias coisas para melhorar — coisas que você estava procurando, e às vezes algumas outras que não estava", considerou o piloto australiano. "Temos bons dados, não apenas sobre o que aprendemos mas também porque Josef [Newgarden] foi tão rápido na metade do ano, quando fez algo diferente com o carro", salientou.

Newgarden é companheiro de equipe de Power na Penske, e conseguiu um desempenho absolutamente superior ao do piloto australiano na temporada: foi o segundo colocado com 511 pontos, atrás apenas do campeão Álex Palou, da Ganassi. Will, o nono, somou 357 tentos e também ficou atrás do francês Simon Pagenaud, outro parceiro de Penske.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Josef Newgarden teve uma temporada bastante superior a Power e brigou pelo título da Indy, mas ficou em segundo lugar (Foto: IndyCar)

"Quero dizer, [era possível] ver como ele estava gerando velocidade", analisou Power. "Dave [Faustino] e eu fomos levados a tentar algumas coisas que não eram particularmente agradáveis para nós", admitiu.

"Você aprende muito mais quando as coisas estão contra você", destacou o piloto. "Você mergulha mais fundo nas informações, descobre os problemas, consegue maneiras diferentes de resolver as situações, e então analisa qual será a melhor para ter o máximo possível de velocidade no carro. E isso inclui minha pilotagem também", ressaltou.

Power se disse "otimista" sobre a temporada da Indy em 2022 e também 2023 — quando os atuais trens de força de 2,2 litros serão substituídos por unidades híbridas de 2,5 litros —, e sente que os pilotos mais experientes do grid terão mais facilidade de entender as novas necessidades do motor.

Will Power venceu pela única vez na temporada 2021 em Indianápolis (Foto: Team Penske)

"Estou otimista sobre esta temporada porque sempre que tivemos problemas no ano anterior e um tipo particular de pista, Dave e eu fomos bons em entender, resolver e voltar mais fortes em seguida", animou-se. "Tenho muita confiança na minha equipe — eles são rápidos, sólidos e confiáveis. Os melhores que já tive", afirmou Power.

"E então eu lembro que 2023 parece bom também, porque vamos ter uma grande mudança com o novo motor e as unidades de potência híbridas", continuou. "Acho que é quando tradicionalmente nós ficamos fortes — nos adaptando a novas regras ou a uma alteração significativa nos carros", ressaltou.

"E de qualquer forma, acho que vai beneficiar todos os pilotos mais experientes, porque passamos por grandes mudanças nos carros antes", destacou. "Nós meio que sabemos o que precisamos alcançar com o carro, o que estamos procurando", encerrou.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade