3 eventos ao vivo

Na Garagem: De Ferran fecha pódio brasileiro em Fontana e conquista Indy pela 1ª vez

Gil de Ferran completou na terceira colocação a etapa de Fontana da CART 2000 e, assim, conquistou seu primeiro título da Indy, levando a melhor em cima do mexicano Adrián Fernández

30 out 2020
05h02
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Gil de Ferran e a taça de campeão da Indy em 2000
Gil de Ferran e a taça de campeão da Indy em 2000
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

O dia 30 de outubro de 2000 entrou para a história do automobilismo brasileiro. Foi ali, na segunda tentativa de realização das 500 Milhas de Fontana, 20ª e última etapa da temporada da Champ Car, que Gil de Ferran se sagrou campeão da Indy pela primeira vez, se tornando o segundo piloto do Brasil a atingir tal feito, depois de Emerson Fittipaldi.

O campeonato da CART daquele ano teve um grid repleto de brasileiros. Além de Gil, Roberto Pupo Moreno, Helio Castroneves, Cristiano da Matta, Christian Fittipaldi, Maurício Gugelmin, Tony Kanaan, Tarso Marques, Luiz Garcia Jr. e Gualter Salles estiveram na disputa e boa parte deles com vitórias, pódios e muitos pontos.

Gil, que fazia seu primeiro ano de Penske, chegou na decisão da taça, no oval de Fontana, na disputa com o mexicano Adrián Fernández, da Patrick, e, em bem menor escala, com o sueco Kenny Bräck, novato na categoria que fazia um trabalho impressionante com a Rahal, e com o canadense Paul Tracy, da Andretti.

Gil de Ferran buscou o título inédito em Fontana
Gil de Ferran buscou o título inédito em Fontana
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

E a conquista parecia teimar em não sair. Dono da melhor campanha, De Ferran tomou um susto grande na penúltima etapa, quando poderia ter fechado a conta, em Surfers Paradise, mas se envolveu em um acidente logo na largada, enquanto Fernández venceu com Bräck em segundo, simplesmente o pior dos cenários para o brasileiro. Aí, em Fontana, após cravar a pole com a volta mais rápida da história da Indy, a chuva apareceu após só 34 voltas feitas no domingo. Ficou tudo para a segunda-feira.

No dia seguinte, a prova se transformou em praticamente um teste de sobrevivência: dos 26 pilotos que largaram, apenas sete conseguiram completar a corrida, sendo que Alex Tagliani e Marques foram retardatários. Aconteceu de tudo: quebras de motor, falhas mecânicas, vazamento de óleo e, claro, acidentes. Gil e Fernández resistiram e transformaram aquilo em um duelo, com Tracy abandonando na volta 23 com quebra de motor e Bräck deixando a disputa na 174 com problemas mecânicos.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:

Apesar de ter liderado 25 giros, De Ferran precisou marcar mais o oponente mexicano do que qualquer coisa. E teve bastante sucesso, fechando a corrida em terceiro, enquanto Fernández foi apenas o quinto, último carro na mesma volta do vencedor da prova.

Gil de Ferran fez a pole em Fontana, a volta mais rápida da história da Indy
Gil de Ferran fez a pole em Fontana, a volta mais rápida da história da Indy
Foto: Divulgação / Grande Prêmio

"Foi um fim de semana muito intenso. Tínhamos voltado da Austrália, onde me envolvi em um acidente na primeira volta e chegamos em Fontana com vários pilotos com chances de vencer o campeonato. A Penske trabalhou muito no desenvolvimento do carro em ovais longos e a Honda nos deu um motor especial para classificação. Fiz a pole, com o famoso recorde mundial, que na época não liguei muito, o mais importante era o ponto que consegui na classificação. Tínhamos preocupações quanto ao motor ser confiável, então, assim que a corrida começou entrei em "modo de conservação". Fizemos uma corrida muito conservadora, sempre olhando para os rivais no campeonato e acabei chegando em terceiro, que foi o suficiente para nós dar o título. Foi uma pena que não pude atacar e lutar pela vitória, mas o campeonato era muito mais importante", explicou Gil, 20 anos depois, ao GRANDE PRÊMIO.

A corrida foi vencida por Christian Fittipaldi, que teve seu primeiro triunfo em 2000 em Fontana, fechando o ano em 12º. Pupo Moreno, de excelente campanha com a Patrick, foi segundo no oval californiano e terceiro no campeonato, ainda superando Bräck. De Ferran fechou um pódio inteiro brasileiro e ainda viu Casey Mears, em sua primeira corrida na Indy, chegar na frente do rival na briga pelo título.

Christian Fittipaldi fechou a temporada 2000 da Indy com uma vitória no circuito californiano
Christian Fittipaldi fechou a temporada 2000 da Indy com uma vitória no circuito californiano
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

"Foi uma temporada muito disputada, muitos pilotos venceram. Nós estávamos sempre entre os primeiros, venci duas corridas, se não me falha a memória, mas foi a consistência que nos trouxe o título", recordou.

"Talvez seja um pouco de arrogância minha, mas sempre acreditei que poderia vencer campeonatos. Mas, no dia a dia, sempre fiquei concentrado no trabalho que poderia trazer os meus objetivos, não no objetivo final. Meu primeiro ano com a equipe não poderia ter sido melhor, tanto do aspecto profissional quanto no pessoal. O profissionalismo e capacidade da equipe estavam muito claros para mim desde o primeiro dia. Pessoalmente, encontrei um ambiente fantástico de muita camaradagem. Me senti confortável e em casa logo de cara. Acho que isso foi um fator importante no nosso sucesso, já no primeiro ano", explicou sobre o título no primeiro ano de Penske.

O pódio brasileiro da etapa de Fontana de 2000
O pódio brasileiro da etapa de Fontana de 2000
Foto: Reprodução/Twitter / Grande Prêmio

Depois de bons anos de Hall/VDS e de Walker, Gil finalmente conquistava seu primeiro título da Indy pela Penske, confirmando algo que já era esperado desde sua chegada ao grid, em 1995. De quebra, emendou a conquista do bicampeonato em 2001, além da Indy 500 de 2003, se transformando em um dos pilotos brasileiros de maior sucesso na história do automobilismo mundial.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Veja também:

Confira a repercussão da morte de Maradona na Argentina e pelo mundo
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade