PUBLICIDADE

Maluquice generalizada em Indianápolis vira descarte para candidatos ao título

Dia de caos em Indianápolis virou descarte para alguns dos principais candidatos ao título da Indy, como Álex Palou, Josef Newgarden e Scott McLaughlin

16 mai 2022 04h17
ver comentários
Publicidade
Palou, Power e McLaughlin: candidatos ao título
Palou, Power e McLaughlin: candidatos ao título
Foto: Indycar / Grande Prêmio

A Indy chega para as 500 Milhas de Indianápolis com um cenário bastante equilibrado em termos de disputa de título. Como já é tradicional, vencedores diferentes marcam a categoria antes da tradicional prova que acontece no dia 29, que pela pontuação dobrada, tem o potencial de dar um panorama curioso para o restante do ano. O caos no misto de Indianápolis, no último sábado (14), virou praticamente um descarte para os principais candidatos.

Álex Palou, por exemplo, começou o ano chamando bastante atenção pela regularidade e por estar sempre andando na frente. No misto de Indianápolis, acabou errando sozinho nas condições mistas e se viu em um raro 18º lugar, resultado raro para um piloto que anda sempre em nível de campeão desde que foi para a Ganassi.

Josef Newgarden vive uma situação peculiar. É o único piloto da Indy em 2022 a vencer duas corridas, por ter faturado as provas do Texas e de Long Beach, mas fora isso, sequer chegou ao top-10 nas outras provas. No misto, foi vítima de uma fechada de Alexander Rossi e um toque de Jack Harvey que atrapalharam seu dia.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Sensação da temporada, Scott McLaughlin também acabou tropeçando em Indianápolis. Tinha condições de chegar na frente e até vencer, mas foi um dos que apostou na errada estratégia de não trocar pneus na pista molhada, e amargou um 20º lugar doloroso.

No meio de tudo isso, o líder da Indy virou Will Power. Aos 41 anos, o australiano ainda não venceu em 2022 e nem teve cara de vencedor nos eventos até aqui, mas foi o único a estar no top-5 em todas as corridas do ano. Mesmo que não seja sustentável, o início de Will é um alívio merecido a um piloto que poderia estar mais presente nas brigas nos últimos anos, mas foi vítima dos seus próprios erros e muitos infortúnios.

Vencedores mais recentes, Pato O'Ward e Colton Herta ainda podem sonhar com a briga por título. Seus inícios de temporada não foram lá dos mais brilhantes, mas venceram corridas com potencial de recuperar confiança, e a Indy 500 serve como uma grande oportunidade para encurtar mais a diferença para os líderes.

Herta cresceu no momento certo
Herta cresceu no momento certo
Foto: Indycar / Grande Prêmio

Ainda há espaço até para Scott Dixon, que mesmo sem brilhar em 2022, foi ao top-10 em todas as provas disputadas. Para sonhar com o hepta, precisa fazer mais do que está fazendo ultimamente, mas ainda não é um nome a ser descartado.

De qualquer forma, o cenário chega equilibrado para a Indy 500, que além de colocar mais um nome na história, também vai separar quem é quem na briga pelo título a partir dos momentos que os candidatos chegarem em Detroit, uma semana depois.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade