PUBLICIDADE

GUIA 2021: Andretti aposta em Herta para se meter na briga entre Penske e Ganassi

Após um 2020 frustrante, a Andretti ganha uma troca de forças interna. Colton Herta agora é o nome mais prestigiado do time e vem para brigar contra Scott Dixon e Josef Newgarden

15 abr 2021
0comentários
Publicidade
Colton Herta é o grande nome da Andretti
Colton Herta é o grande nome da Andretti
Foto: Indycar / Grande Prêmio

O jejum de títulos da Andretti vem desde 2012, quando Ryan Hunter-Reay surpreendeu e encaixou uma temporada campeã, mas poucos anos de lá para cá foram tão frustrantes quanto 2020 para a equipe. Apenas uma vitória, com Colton Herta, e longe de qualquer briga pelo título. Para 2021, o desejo é de voltar a se aproximar de Penske e Ganassi.

Agora, as rivais também vão manter programas de quatro carros, então foi hora da Andretti agir. Antes mesmo da temporada passada acabar, Zach Veach foi dispensado. Foram três anos desperdiçando bom equipamento nas mãos de um piloto incapaz de entregar frequentes idas ao top-10. Para seu lugar, James Hinchcliffe foi recontratado após a passagem entre 2012 e 2014.

É certo que o canadense não é um piloto de ponta no grid da Indy, mas não mereceu ser chutado da McLaren SP da forma que foi, ainda mais para dar lugar a um novato despreparado como Oliver Askew, e carrega experiência suficiente para andar no pelotão da frente. 

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Colton Herta nos testes privados da Indy
Colton Herta nos testes privados da Indy
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

A confiança da Andretti para brigar por título agora se divide. Além de Alexander Rossi, que teve um 2020 terrível, Colton Herta cresce cada vez mais no conceito da equipe. A temporada passada do piloto de 21 anos foi bastante regular, apenas com a ausência de gás para promover um maior desafio contra Josef Newgarden e Scott Dixon.

Porém, é inegável que Colton parece cada vez mais pronto e tem totais condições de se meter na briga pelo título. Pouca idade nunca pareceu um empecilho ao filho de Bryan Herta, que se tornou o mais jovem vencedor da história da Indy, que une ousadia, maturidade e regularidade.

"Eu gostaria de disputar o campeonato até o fim, ter a habilidade de vencer. Este é o meu objetivo e o do time. É claro que, junto disso, vencer a Indy 500 e investir nos recursos ao mesmo tempo. Mas precisamos cortar os erros, trocar o top-5 por pódios, e alguns pódios por vitórias", comentou Herta.

Alexander Rossi participou de teste em Indianápolis
Alexander Rossi participou de teste em Indianápolis
Foto: James Black/Indycar / Grande Prêmio

Apesar de terminar 2020 sem vencer, não é hora de desistir de Alexander Rossi. O piloto do carro #27 já mostrou seu valor em outras oportunidades, mas parece sempre que se perde quando algo ruim acontece. Foram várias as chances de vencer no ano passado, inclusive na Indy 500, mas pareceu sempre um passo atrás em termos de confiança.

Ryan Hunter-Reay fecha a quadra da Andretti. Aos 41 anos, o piloto não vence desde Sonoma, em 2018, e nem é uma presença frequente nos pódios da Indy. A gratidão da equipe por seu último campeão e o forte apoio financeiro impedem um fim de vínculo, mas é hora do time pensar se realmente vale a pena manter o piloto.

Além de se preocupar em bater Penske e Ganassi, a Andretti tem de deixar o olho aberto para a crescente da McLaren na categoria. Mesmo assim, ainda é uma equipe bastante perigosa e que pode surpreender.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade