3 eventos ao vivo

Chefe da McLaren vê chance de Alonso fazer GP de Mônaco e Indy 500 em 2021

Fernando Alonso vai disputar o GP de Mônaco de 2021 pela Renault, é verdade, mas quem disse que isso impede que o espanhol faça a Indy 500? Zak Brown, chefe da McLaren, quer a jornada dupla

1 ago 2020
15h37
atualizado às 15h41
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Grande Prêmio

Fernando Alonso já está de retorno marcado para a Fórmula 1 em 2021, mas isso não quer dizer que suas aventuras na Indy 500 vão terminar em 2020. Neste sábado (1), o chefe da McLaren, Zak Brown, deixou em aberto a possibilidade de contar com o espanhol para a prova da próxima temporada, já que, finalmente, o GP de Mônaco não vai coincidir com as 500 Milhas de Indianápolis, mas, sim, com a classificação da prova americana, algo que seria plenamente contornável.

É que não é o piloto quem classifica na Indy 500, mas o carro. Não é incomum, por exemplo, que vagas sejam compradas por pilotos que caíram no Bump Day ou que não participaram da classificação. Assim, Brown imagina um cenário possível para ter Alonso com a McLaren novamente em 2021: alguém classifica e, durante a semana, Fernando chega de Mônaco e assume o carro. Mas resta ver se a Renault e o espanhol topam.

Zak explicou que Alonso segue nos planos da McLaren mesmo voltando para a Renault. O dirigente quer aproveitar o raro ano em que Indy 500 e Mônaco não acontecerão na mesma data.

"Do nosso ponto de vista, GP de Mônaco e Indy 500 não são em datas conflitantes em 2021. É sempre importante lembrar que, na Indy 500, quem classifica é o carro, não o piloto. Então, é uma possibilidade, sim, especialmente que ele vai ser um cara com ainda mais experiência na corrida", disse.

Fernando Alonso vai para a terceira tentativa na Indy 500 em 2020
Fernando Alonso vai para a terceira tentativa na Indy 500 em 2020
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

Brown comentou que a Renault precisa liberar o piloto para a prova, mas deixou claro que gostaria de contar novamente com Alonso na escalação da McLaren no IMS, como vai ser em 2020 e como foi em 2017 e 2019.

"Se ele quiser fazer a Indy 500 em 2021 e o contrato dele permitir, coisa que eu realmente não sei, poderíamos ter alguém nos classificando e aí ele assumiria o carro na corrida. Precisamos saber ainda como estaremos enquanto um time, mas, certamente, não seria algo a que eu me oporia. Se tivermos vaga, se ele quiser a Indy 500 em 2021 e se ele for liberado, o cenário me parece possível", seguiu.

O chefe do time de Woking falou também dos problemas que Alonso vinha enfrentando para entrar nos EUA por conta do coronavírus. Segundo Brown, tudo já em ordem para o espanhol participar da Indy 500 já nos primeiros treinos livres, que começam na terça-feira (11).

"A entrada dele nos EUA nunca foi um problema real. É mais que os EUA estão passando por um momento complicado, então tudo tem sido mais enrolado, levado um tempo maior. Mas Fernando já tem todos os documentos que precisa pra entrar", explicou.

Em 2017, em parceria com a Andretti, Alonso foi ao Fast Nine na classificação e até liderou voltas, mas seu motor Honda estourou. No ano passado, um vexame, caindo no Bump Day e sequer largando quando a McLaren tinha a Carlin como parceira. Agora, alinha com Pato O'Ward e Oliver Askew na equipe própria laranja e preta.

Veja também:

Dérbi paulista e Gre-Nal prometem esquentar a quarta-feira de decisões nos estaduais
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade