PUBLICIDADE

Castroneves vê chance de estratégia ousada em Nashville: "Não temos nada a perder"

Correndo pela primeira vez desde a vitória nas 500 Milhas de Indianápolis, Helio Castroneves ainda se vê em adaptação e espera arriscar em Nashville

5 ago 2021 11h35
ver comentários
Publicidade
Helio Castroneves venceu as 500 Milhas de Indianápolis pela quarta vez
Helio Castroneves venceu as 500 Milhas de Indianápolis pela quarta vez
Foto: AFP / Grande Prêmio

Helio Castroneves está de volta na Indy. Quase três meses depois da histórica quarta conquista das 500 Milhas de Indianápolis, o brasileiro de 46 anos retorna ao cockpit do #06 da Meyer Shank para um novo desafio: as ruas de Nashville, que recebe a categoria neste fim de semana em um circuito inédito.

Será a primeira experiência de Castroneves em um circuito de rua com a Meyer Shank. Recentemente, o brasileiro participou de testes coletivos da Indy no circuito de Portland, no qual também vai disputar corrida em algumas semanas. Helio não corre em traçados permanentes ou de rua desde o fim do ano passado, quando guiou a McLaren na rodada dupla do misto de Indianápolis. O piloto valorizou os testes recentes.

"Esta sexta-feira de testes que tive em Portland…nossa senhora. Se eu fosse começar os treinos em Nashville, seria muito mais complicado. A preparação está sendo melhor pelo fato de ter um pouquinho mais de tempo, então isso vai ajudar", afirmou Helio ao ser perguntado pelo GRANDE PRÊMIO em coletiva de imprensa virtual na última terça-feira.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Helio Castroneves venceu as 500 Milhas de Indianápolis pela quarta vez
Helio Castroneves venceu as 500 Milhas de Indianápolis pela quarta vez
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

"Com a McLaren, lançaram um cara lá, por eu ter experiência. Se colocasse qualquer outro cara lá, um jovem, poderia ter batido, ter feito alguma outra bobagem, e a minha intenção foi ter aquela primeira corrida como um treino, deveria ter parado nos boxes, ter mexido no carro, deveria ter feito um treino mesmo. E para a segunda corrida, ter uma performance melhor. Acredite ou não, os tempos foram melhores. Pode não ter sido mostrado na corrida, mas os tempos foram melhores", seguiu.

Em Nashville, Castroneves reconhece que ainda está em adaptação com a Meyer Shank, e prevê alguma estratégia arriscada na prova inaugural nas ruas da "Cidade da Música", já que entende que não tem nada a perder.

"E agora, para essa situação de Nashville, pelo menos já andei, o banco não está complicado. Tem algumas situações, por exemplo, dos botões que eu estou me adaptando. Pensei que os botões eram os mesmos de Indianápolis e não eram. Mas tudo bem, agora tenho de adaptar também. Essas coisas, vocês pensam que não são importantes, mas acredite ou não: para você entrar num box e apertar o speed limit, você não tem que pensar, não tem que olhar para o volante e entrar. Você tem de já saber onde é", seguiu.

"Estes tipos de detalhes, para ser sincero, ainda não está 100%, porque isso só com o tempo que vai acontecer. Como o nível da categoria está muito competitivo, isto custa tempo, e isso vai acumulando no fim de semana. Esperamos que nessa corrida possamos dar o melhor, se for para arriscar na estratégia, vamos arriscar, porque não temos nada a perder", completou.

COMO SERIA A LARGADA GP DA HUNGRIA DE F1 SE HAMILTON ENTRASSE NOS BOXES?

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade