0

Marko descarta ex-pilotos juniores da Red Bull voltarem à Fórmula 1

22 jan 2020
16h33
  • separator
  • 0
  • comentários

O conselheiro da Red Bull, Dr. Helmut Marko, descartou o retorno à Fórmula 1 para os ex-membros juniores da equipe, apesar da falta de pilotos prontos para suas fileiras no momento.

Foto: Rafael Catelan / F1Mania
Foto: Rafael Catelan / F1Mania
Foto: F1Mania

A Red Bull tem sido uma equipe que promove seus próprios talentos na F1, através da Toro Rosso, que será conhecida como Alpha Tauri a partir de 2020.

Mas, nos últimos anos, a equipe de bebidas energéticas teve uma escassez de pilotos disponíveis para dar o passo, com a assinatura novamente de Brendon Hartley em 2018, depois de deixá-lo em 2010, e de Daniil Kvyat em 2019, depois de ser retirado em 2017.

Ex-pilotos do sistema júnior Sebastian Buemi e Jean-Eric Vergne, obtiveram sucesso na Fórmula E, ambos vencendo o campeonato, mas Marko sente que o retorno à F1 não é uma opção.

“O tópico está encerrado. Eles fizeram carreiras em outras direções e outras categorias de automobilismo”, disse ele, citado pela Autosport.

“Agora, se um Jean-Eric Vergne vence a Fórmula E, é algo completamente diferente dos requisitos que temos na Fórmula 1".

“Porque lá ele seria mais ou menos um novato completo. Levaria uma temporada inteira para se acostumar com as especialidades de um pneu Pirelli. Então, só por esse motivo, tudo aconteceu no passado.”

“Mas quando você olha em volta, muitos dos nossos juniores são bem-sucedidos. Eles ganham um bom dinheiro e transformaram seu hobby em uma profissão. Isso é ótimo.”

Hartley e Kvyat sendo re-contratados para a equipe não foram os únicos, pois Alex Albon retornou para 2019 ao lado do russo, ganhando uma promoção para a equipe sênior, mas Marko sente que seus padrões não são muito altos.

“Você precisa entender isso do ponto de vista filosófico”, acrescentou.

“No começo, a equipe júnior era uma espécie de patrocínio, porque todo mundo sabia o quanto caro é o esporte a motor, e o dono da Red Bull, Dietrich Mateschitz, disse que queria dar uma chance aos pilotos".

“Mas então, de repente, tínhamos duas equipes de Fórmula 1. E então ficou claro que apoiar alguém porque é relativamente bem-sucedido não é suficiente".

“Foi decidido que eles devem ter pelo menos o potencial de ganhar um GP. E é por isso que a seleção se tornou mais rigorosa".

“Não consigo entender bem esses pontos de crítica, porque financiamos pilotos por uma ou duas temporadas, sem esses fundos eles nunca teriam entrado nessa situação”, acrescentou.

Quer assistir ao vivo às corridas da Indy e Superbike? Acesse http://f1mania.vc/4K e experimente a DAZN grátis por 1 mês!

Receba as notícias da F1Mania pelo WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/JM217xUs7xT6Ii8qhm1TIF

Inscreva-se em nosso canal no YouTube: https://www.youtube.com/user/f1mania?sub_confirmation=1

Confira os últimos vídeos do canal da F1MANIA no YouTube – MELHORES MOMENTOS | ePRIX DE SANTIAGO 2020:

F1MANIA VISITA HOMENAGENS A AYRTON SENNA EM IMOLA:

Bruno Correia e Victor Berto dão uma volta no circuito do Parque O’Higgins com o SAFETY CAR da Fórmula E:

A experiência inesquecível de pilotar um carro de Fórmula E:

500 MILHAS DE KART GRANJA VIANA 2019 | Melhores Momentos da 23ª edição:

Fórmula 1 faz tributo à Ayrton Senna no Parque do Ibirapuera:

Visitamos o DAYTONA INTERNATIONAL SPEEDWAY | FÉRIAS F1MANIA:

F1Mania
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade