1 evento ao vivo

Carrasco opera fratura em vértebras após acidente e fica fora da Supersport 300 em 2020

Após sofrer forte acidente durante teste em Portugal, é previsto que a espanhola comece recuperação para voltas às pistas em três meses

15 set 2020
10h37
atualizado às 10h55
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Carrasco fraturou as vértebras T3, T4 e T6
Carrasco fraturou as vértebras T3, T4 e T6
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Ana Carrasco vai passar pela sala de cirurgia e não volta para a temporada 2020 do Mundial de Sportsport300. Após sofrer um forte acidente em Portugal e fraturar três vértebras, a espanhola vai operar ainda nesta terça-feira (15) para estabilizar a lesão.

Participando de treinos em Estoril na última semana, a competidora sofreu uma forte queda e lesionou as vértebras T3, T4 e T6 [na parte torácica]. Em um primeiro momento, foi levada ao Hospital São Francisco de Xavier, em Lisboa, antes de ser transportada de volta à Espanha.

Então, após avaliações dos últimos exames, a equipe médica, a pilota e a Provec Racing, seu time na categoria, optaram por realizar o procedimento. A operação vai ser feita pela médica Maria Teresa Ubierna e toda a equipe da Clínica Dexeus em Barcelona.

Carrasco internada após o acidente em Estoril
Carrasco internada após o acidente em Estoril
Foto: Reprodução / Grande Prêmio
Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube!

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A previsão é que Carrasco consiga se sentar e andar pouco após a operação, e em três semanas consiga começar exercícios isométricos. Ainda, é esperado que a pilota da Kawasaki volte sua recuperação para retornar às pistas em três meses, perdendo o restante da temporada 2020. Hoje, a pilota está na quinta colocação da classificação com uma vitória e dois pódios.

"Ana caiu de moto enquanto treinava na pista do Estoril na quinta-feira, 10 de setembro. Uma tomografia computadorizada foi feita assim que ela chegou ao Dexeus na última sexta-feira, dia 11, e nós observamos uma fratura na coluna espinhal, parcialmente afetando a vértebra T3 e a os níveis T4 e T6, afetando todo o corpo espinhal, induzindo uma perda de altura de aproximadamente 50% na área", explicou a médica.

"Também foi feita uma ressonância magnética para avaliar o envolvimento neurológico, e detectamos um pequeno deslocamento, 2mm, no nível T4, que invade o canal ósseo, mas não afeta a medula. Depois de avaliar com Ana, a família dela e o circulo profissional, o risco e os benefícios dos possíveis tratamentos foram determinados e foi considerado oportuno fazer uma cirurgia para estabilizar a fratura e permitir uma mobilização precoce. A cirurgia será feita com controle da função da medula o tempo todo", continuou.

"Nós estimamos que, se tudo correr de acordo com o planejado, em 48h ela possa sentar e andar e a ideia é liberá-la para começar exercícios isométricos depois de três semanas. Num período de tempo estimado em três meses, ela poderá começar progressivamente a voltar à sua atividade profissional. Quando as fraturas estiverem consolidadas, planejamos remover o implante de titânio", completou.

Carrasco ocupa a quinta colocação da classificação
Carrasco ocupa a quinta colocação da classificação
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Carrasco também aproveitou para falar algumas palavras. "Este, com certeza, não era o meu plano para esta semana. Minha ideia era correr este fim de semana na nossa corrida de casa do Circuito de Barcelona-Catalunha e continuar a lutar pelo campeonato do Mundial de Supersport 300, mas de qualquer forma, quedas e lesões são parte do meu trabalho como piloto. A temporada 2020 acabou para mim e amanhã vou começar a 'pré-temporada 2021'", disse.

"Quero dizer um enorme obrigada à pessoas que me ajudaram nesses últimos dias, que são muitas, e aquelas que vão me ajudar ao longo dos próximos meses. Elas todas sabem quem são e estou contando com elas no próximo ano. Além disso, [agradeço] as centenas de mensagens de encorajamento que recebi que e que estão me ajudando demais", concluiu.

Ana vinha em 2020 para tentar seu segundo título na categoria de acesso ao Mundial de Superbike. Em 2018, a espanhola conseguiu o caneco e sagrou-se como a primeira mulher campeã mundial de motociclismo. No ano passado, completou o campeonato no terceiro posto.

Veja também:

Vai ter jogo? Editor do L! analisa imbróglio na partida entre Palmeiras e Flamengo pelo Brasileirão
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade