PUBLICIDADE

Armstrong segura pressão de Lawson e vence corrida 1 em Jedá. Drugovich é 4º

Marcus Armstrong aproveitou o grid invertido, liderou praticamente de ponta a ponta e venceu nesta tarde de sábado em Jedá. Felipe Drugovich foi o quarto

4 dez 2021 10h27
ver comentários
Publicidade
Marcus Armstrong liderou praticamente de ponta a ponta a corrida 1 da F2 em Jedá
Marcus Armstrong liderou praticamente de ponta a ponta a corrida 1 da F2 em Jedá
Foto: F2/Twitter / Grande Prêmio

A Fórmula 2 abriu a programação do sábado (4) em Jedá com uma corrida bastante movimentada. Marcus Armstrong, que largou em segundo graças à regra do grid invertido em relação à classificação, superou o compatriota neozelandês Liam Lawson logo no começo e suportou a pressão do piloto da Hitech mesmo depois de duas intervenções do safety-car. Foi a primeira vitória do competidor da DAMS e membro da Academia de Pilotos da Ferrari na temporada. Lawson e Jüri Vips, os dois da Hitech, completaram o pódio.

Felipe Drugovich foi outro competidor que fez boa corrida nesta tarde de sábado na Arábia Saudita. O brasileiro da UNI-Virtuosi ficou sempre entre os primeiros e levou de forma segura seu carro à quarta posição, à frente do indiano Jehan Daruvala, da Carlin. Robert Shwartzman, depois de pagar 5s de punição por manobra de ultrapassagem fora dos limites em cima de Théo Pourchaire — que abandonou —, foi o sexto, à frente de Christian Lundgaard e Oscar Piastri, cada vez mais perto do título depois que Guanyu Zhou se envolveu em incidente com o piloto dinamarquês e caiu para o fim do grid.

Entre os demais brasileiros, Enzo Fittipaldi recuperou posições ao longo da disputa e terminou em 12º lugar. Já Guilherme Samaia foi abalroado pelo carro de Olli Caldwell e abandonou na primeira volta.

A classificação do campeonato agora tem Piastri na frente com 182 pontos, contra 142 de Zhou, que terminou a prova desta tarde só em 17º, enquanto Shwartzman encostou no chinês no campeonato e tem agora 141 tentos. Piastri precisa abrir 66 pontos neste fim de semana para comemorar a conquista do título já na Arábia Saudita.

A Fórmula 2 volta a acelerar ainda neste sábado com a disputa da corrida 2, com o grid invertido em relação aos dez primeiros colocados. Desta forma, Bent Viscaal vai abrir o alinhamento inicial logo mais, a partir de 15h40 (de Brasília, GMT-3), sempre com transmissão ao vivo pelo canal por assinatura BandSports e pelo serviço de streaming F1 TV Pro.

Marcus Armstrong venceu quase de ponta a ponta a corrida 1 da F2 em Jedá
Marcus Armstrong venceu quase de ponta a ponta a corrida 1 da F2 em Jedá
Foto: F2/Twitter / Grande Prêmio

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Saiba como foi a corrida 1 da Fórmula 2 na Arábia Saudita

Diante da regra do grid invertido em relação aos dez primeiros da classificação, Liam Lawson e Marcus Armstrong abriram a primeira fila toda da Nova Zelândia no alinhamento inicial em Jedá, enquanto Oscar Piastri largou em décimo. Armstrong, com o carro da DAMS, tomou a ponta depois de ter sido espremido pelo compatriota e assumiu a liderança. Logo atrás, nas últimas colocações, o novato Olli Caldwell não conseguiu frear e acertou o carro de Guilherme Samaia. Marino Sato também acabou sendo vítima do incidente. Tanto o brasileiro da Charouz quanto o japonês, piloto da Trident, abandonaram na primeira volta.

Largada da corrida 1 da Fórmula 2 na Arábia Saudita
Largada da corrida 1 da Fórmula 2 na Arábia Saudita
Foto: F2/Twitter / Grande Prêmio

O safety-car permaneceu na pista por duas voltas, e a corrida foi retomada em seu ritmo normal no quarto giro. Em seguida, Guanyu Zhou, ainda concorrente ao título contra Piastri, se envolveu em disputa por posição contra Christian Lundgaard, levou a pior e ficou com a asa dianteira toda danificada. O chinês despencou para a última posição e teve de ir para os boxes trocar a peça.

A direção de prova chegou a acionar o safety-car virtual, mas por pouco tempo. Logo que a bandeira verde tremulou, Armstrong tratou de buscar abrir vantagem na liderança contra Lawson, enquanto Ralph Boschung era o terceiro com o carro da Campos, seguido por Jüri Vips e Felipe Drugovich, em quinto. Enzo Fittipaldi aparecia em 16º quando restavam 15 voltas para o fim.

Guilherme Samaia e Marino Sato sofreram com um incidente na primeira volta e abandonaram
Guilherme Samaia e Marino Sato sofreram com um incidente na primeira volta e abandonaram
Foto: F2/Twitter / Grande Prêmio

A matemática do título da Fórmula 2 diz que Piastri garante a taça de campeão da Fórmula 2 se abrir 66 pontos de frente para Zhou ao fim desta rodada tripla. O australiano ocupava a décima posição no primeiro quarto de corrida.

Dan Ticktum era o 12º quando disputou posição com Bent Viscaal e chegou a fazer a ultrapassagem sobre o holandês. Mas segundo a direção de prova, o piloto da Carlin precisou devolver a posição por ter feito escapado dos limites de pista e ter obtido vantagem ao fazer a manobra. O britânico, no entanto, seguiu a insistir em ganhar a posição e finalmente passou Viscaal voltas depois.

Boschung, por sua vez, perdeu ritmo e foi ultrapassado por Vips e Drugovich. O brasileiro assumiu a quarta posição e era seguido de perto por Robert Shwartzman e Lundgaard, que também passaram o piloto da Campos. Um pouco mais atrás, Piastri subiu para nono em meio a um pelotão que tinha Théo Pourchaire, Boschung, Jehan Daruvala e Ticktum.

Théo Pourchaire bateu de leve na barreira de proteção na corrida 1
Théo Pourchaire bateu de leve na barreira de proteção na corrida 1
Foto: F2/Twitter / Grande Prêmio

Logo depois, a direção de prova puniu Shwartzman em 5s por ter ultrapassado Pourchaire fora dos limites de pista. O russo, que era o quinto e tinha a volta mais rápida, cairia pelo menos para a nona colocação. Mas prejuízo maior teve Pourchaire, que perdeu o controle do carro e bateu de leve na barreira de proteção. Novamente, o VSC foi acionado primeiramente pela direção de prova, que depois optou pela intervenção do safety-car a cinco voltas do fim.

O top-10 naquele momento tinha Armstrong na frente, seguido por Lawson, Vips, Drugovich, Shwartzman, Lundgaard, Piastri, Daruvala, Ticktum e Viscaal.

A bandeira verde tremulou novamente na volta 18, a três para o fim. Armstrong foi muito pressionado por Lawson e por Vips, mas conseguiu se manter na primeira posição, seguido pelos dois carros da Hitech e pintados com as cores da Red Bull. Drugovich sustentou um bom quarto lugar e vinha à frente de Shwartzman, enquanto Piastri lutava contra Lundgaard na disputa pela sexta posição.

Mas quem surpreendeu no meio dessa briga foi Daruvala, que conseguiu, com uma grande manobra, superar de uma vez Lundgaard e Piastri para tomar o sexto lugar. Grande momento do indiano da Carlin na prova.

Na volta final, Piastri foi espremido no muro por Lundgaard, que jogou duro para se manter em sétimo, logo à frente do australiano. Lá na frente, a disputa pela liderança ficou muito acirrada entre os dois neozelandeses. Mesmo com muita pressão, Armstrong levou a melhor e venceu o duelo com Lawson e terminou como o grande vitorioso neste fim de tarde em Jedá.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade