3 eventos ao vivo

IAAF retorna à punição de 4 anos de suspensão por doping

9 ago 2013
08h46

A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) ressaltou seu compromisso na batalha contra o doping ao anunciar que, a partir do 1º de janeiro do 2015, as infrações graves serão castigadas com quatro anos de suspensão.

Os recentes escândalos com o doping de grandes figuras como o americano Tyson Gay e o jamaicano Asafa Powell, além da suspensão em massa de 31 atletas turcos pelo mesmo motivo levou a IAAF a manifestar solenemente sua postura.

"A IAAF tem uma obrigação ética em relação à grande maioria de atletas e oficiais que acreditam no esporte limpo. Como líder nesta luta a IAAF implementou um programa para detectar e afastar do esporte quem infringe as regras antidoping", ressalta o texto aprovado por aclamação no Congresso que precede o Mundial de Moscou.

Na opinião do sul-africano Frank Fredericks, membro do Conselho Diretor da IAAF e de sua Comissão de Atletas, a atual suspensão por dois anos "não é um castigo suficientemente dissuasório".

"O novo código da AMA (Agência Mundial Antidoping), que entrará em vigor em 1º de janeiro do 2015, refletirá nosso propósito de endurecer as sanções e a IAAF voltará à suspensão por quatro anos para as infrações de doping graves", acrescenta.

Todos os atletas participantes do Mundial de Moscou - quase 2.000, segundo a inscrição provisória - passarão por testes de sangue prévios à competição.

Antes de começar o torneio, no próximo sábado, terão sido feitos também 60 testes de urina para a detecção de EPO, e em competição, a IAAF deve efetuar entre 450 e 500 testes de urina.

EFE   
publicidade