0

Duda da Silva celebra nova sede da CBAt: "Lugar para chamar de seu"

15 mar 2019
08h12
  • separator
  • comentários

O ano de 2019 começou especial para a Confederação Brasileira de Atletismo, que tem apresentado mudanças importantes visando o futuro do esporte no país. Nesta quinta-feira, em São Paulo (SP), foi realizado o evento de apresentação da nova identidade visual da entidade e do reposicionamento da mesma no mercado. Nele, esteve presente o saltador em distância Duda da Silva, que não esconde a empolgação ao falar sobre a também nova sede oficial da CBAt, que deixou o escritório em São Paulo (SP) para ocupar um centro de treinamento em Bragança Paulista (SP).

"A Confederação Brasileira sempre mereceu ter um lugar próprio. Um lugar para chamar de seu. E com uma pista do lado! Tem tudo a ver e a decisão foi muito acertada. Como o presidente falou, São Paulo é um mundo, e muitas vezes você acaba não tendo uma logística favorável para fazer eventos, reuniões… Bragança é uma cidade menor e não não é tão ruim para se deslocar até lá. Às vezes você gasta mais tempo para se deslocar dentro de São Paulo do que viajando para lá. É tudo positivo. Nós, atletas e os demais envolvidos com o atletismo, só temos a ganhar", disse, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

O bicampeão mundial do salto em distância (2012 e 2014) se encontra com as atenções totalmente voltadas para a disputa dos Jogos Pan-Americanos, que começa em julho deste ano, no Peru. Para ele, este momento é extremamente importante em termos de preparação, já que obriga os atletas a, além de pegar pesado nos treinos, fortalecer a parte psicológica e mental para a competição.

"No atletismo, eu aprendi que o atleta é 70% mental e 30% físico. Não que ele tenha que treinar mais a mente. Ele vai treinar muito a parte física e técnica. Mas na hora da competição, precisa ser muito consciente, as coisas precisam estar bem estabelecidas na cabeça. Quando o atleta está preparado psicologicamente, ele consegue transformar todo aquele suor que ele teve durante a carreira, a preparação, em medalha. O atleta que pensa em Pan-Americano, que já tem o índice, é foco total. Passou o Pan, aí começa a pensar em Olimpíada", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade