0

Furacão lamenta primeiro tempo ruim e defesa instável

25 nov 2018
22h18
atualizado às 22h18
  • separator
  • comentários

O Atlético Paranaense deixou de dar um grande passo para conseguir uma vaga na Liberadores da América ao ceder o empate em 2 a 2 para o Ceará depois de chegar a virar o placar, que lhe dava um lugar no G6 do Campeonato Brasileiro. O atacante Marcinho, autor do primeiro gol, acredita que os 45 minutos inicias foram determinantes, já que o Furacão não apresentou o mesmo desempenho dos últimos jogos.

"Fizemos um tempo abaixo do que a equipe vem apresentando. Mas voltamos bem no segundo tempo. Faltou aproveitar melhor, saber jogar o jogo. Estávamos com vantagem e em algum momento forçamos muito o jogo", afirmou o jogador, que já está focado na semifinal da Copa Sul-Americana, diante do Fluminense. "Agora o foco é a Sul-americana. Temos que saber jogar o jogo, não sofrer. Não será fácil, mas temos tudo para classificar", acrescentou.

Em sua centésima partida com a camisa rubro-negra, o argentino Lucho Gonzalez saiu do banco para entrar e fazer o segundo gol atleticano, quase dando a vitória, que escapou em cinco minutos de apagão do time. "Uma sensação de que tinha um jogo controlado e, em cinco minutos, deixamos escapar uma possibilidade muito boa para garantir uma vaga para a Libertadores", avaliou.

Pelas circunstâncias da partida, o técnico Tiago Nunes avaliou como justo o empate, já que o time não se portou como esperava, especialmente na defesa. "Foi um jogo que qualquer resultado poderia ter acontecido. O mais justo acabou sendo o empate. As duas equipes produziram de forma parecida em termos ofensivos. Conseguimos a virada, mas faltou um pouco de maturidade para segurar o resultado. A gente deveria ter buscado o terceiro gol e não se acomodado. Não foi uma boa partida defensivamente", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade