1 evento ao vivo

Levir sai em defesa de criticados e usa ironia para falar de Elias

15 mar 2019
18h38
  • separator
  • 0
  • comentários

O lateral-direito Patric é alvo constante de críticas por parte da torcida do Atlético. O volante Elias, desde que chegou, não conseguiu agradar totalmente e também recebe questionamentos. No entanto, eles têm que os defenda. O técnico Levir Culpi, na tarde desta sexta-feira, falou de seus jogadores.

"Há quantos anos o Patric está no Atlético? Quase uns dez anos. Quem é dentro do Atlético que segura um jogador que não é bom? Você acha que esse jogador tem essa força toda para ficar dez anos aqui no Atlético? Alguma coisa boa ele tem. Ele é um cara gente fina, mas gente fina não tem nada a ver. Ele tem que ter produtividade", destacou o treinador atleticano.

Levir ressaltou ainda que Patric não é um perna de pau e lembrou de uma partida que o ala viveu momentos de goleador.

"Ele já jogou bem aqui, já jogou bem fora daqui, joga numa posição que tem pouquíssimos jogadores. Nós não conseguimos contratar um lateral-esquerdo, estamos no mercado procurando um lateral. Além disso, é um cara muito profissional, é um cara querido por todos aqui dentro. Eu assisti a um vídeo, uma brincadeira um dia desses, ele fez três gols numa partida pelo Sport Recife. Foram três gols numa partida. Ele não é um perna de pau, cara, não é perna de pau. Não sei como te responder isso, o que gera essa coisa neurótica de escolher um cara para Cristo", salientou.

Sobre o volante Elias, o técnico Levir Culpi usou de ironia para defender seu jogador. "O Elias… vocês lembram… o Elias tem um histórico péssimo. É péssimo. Ele foi horrível no Corinthians, nunca fez nada no Corinthians, nunca fez nada aqui. É péssimo. Esse é o conceito do cara? É uma neurose. Ela ganha embasamento com os resultados dos jogos e com o desempenho dos jogadores. Eles vem jogando muito bem? Não, não vem jogando muito bem, não estão rendendo o que podem render. Mas vão matar os dois? É isso? Tira os dois e traz mais dois. É assim que funciona? Não é. É como família. Se vocês fizessem assim com o filho de vocês, vocês matavam todos. Vamos ter um pouco mais de calma", falou Levir que mostrou considerar Elias um meia.

"O Elias ficou conhecido por quê? Por chegar à área dos adversários. É um meia que sabe penetrar, sabe finalizar, tem um número de gols muito bom na carreira. Ou ele é conhecido pela marcação, pelos carrinhos? Ele é parecido com Donizete, com Pierre? É isso? Eu não o vi assim. Nós temos dois volantes. vamos considerar o Adilson. É um jogador de marcação, de posicionamento e de uma ótima entrega de bola também. Ele passa muito bem a bola. O fato de dizer que joga com dois ou três volantes, não quer dizer está jogando defensivo. Se o seu volante sabe chegar lá na frente, o seu time é ofensivo. Se o seu volante não passa do meio, não acerta um chute, não acerta um passe, ele é defensivo", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade