1 evento ao vivo
Logo do Seleção Argentina
Foto: terra

Seleção Argentina

Dybala se destaca e aprova dupla com Messi após fala polêmica: "É questão de treino"

7 jul 2019
06h18
atualizado em 9/7/2019 às 11h19
  • separator
  • 0
  • comentários

"Para mim, é difícil jogar com o Messi". A frase célebre era talvez o momento mais marcante de Paulo Dybala com a seleção argentina, mas parece fazer parte do passado. Escalado para atuar ao lado do camisa 10 na vitória por 2 a 1 sobre o Chile, na Arena Corinthians, que assegurou o terceiro lugar da Copa América ao seus país, o atacante de 25 anos acredita que a dupla ainda pode render muitos frutos.

"É questão de se treinar, de conhecer mais o seu companheiro e ter mais sintonia. Saber que, se um fica mais para frente, outro vai para trás pegar a bola para entregar. É questão de entendimento", comentou o jogador da Juventus, visto como o líder da nova geração de atletas que tenta dar a Messi, e a alguns dos remanescentes nascidos no final da década de 1980, um título para a seleção.

Suas palavras, descritas no começo do texto, viraram motivo de piada em meio à busca da Argentina por uma vaga na Copa da Rússia. Uma simples busca pelo termo "Dybala salame" na internet te leva a um vídeo de um jornalista contestando a dificuldade de se jogar com um dos melhores da história. "Difícil é para o Messi jogar com você, isso sim", brada o envolvido. Com isso e as eliminações recentes já no passado, o canhoto tenta assumir o posto que parecia destinado a ser seu desde 2017.

Ainda que não seja o melhor parâmetro, a disputa de terceiro lugar revelou uma movimentação envolvente do trio Messi, Dybala e Aguero, com o atleta do Barcelona mais centralizado, Dybala pela direita e Aguero pela esquerda. Alçado à condição de titular por causa da ausência de Lautaro Martínez, ele avaliou como positivo o encerramento da competição.

"Eu estava com muita vontade, claro que eu sempre quero jogar, mas quando se forma um grupo forte o jogador tem que entender quando fica de fora. Tinha que dar o melhor de mim e esperar a melhor oportunidade. Sabia que minha hora iria chegar, aconteceu e eu cumpri minha função", observou, confiante em aumentar a cota de apenas dois gols pelo seu país, duplicada neste final de semana.

"Claro que a posição vai influenciar, mas depende de a equipe jogar mais para frente. Se a equipe jogar mais para frente, vou ter mais chances de fazer gol. Hoje tive uma, fiz o gol, depois teve o passe do Léo (Messi) que eu perdi, mas acho que estava impedido. Bom, agora já foi, esse grupo é ótimo, vamos buscar coisas maiores", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade