4 eventos ao vivo

Após bater na trave em 2018, Filipe Toledo mira evolução para título em 2019

1 mar 2019
17h45
atualizado às 17h48
  • separator
  • comentários

Terceiro melhor surfista do Mundo no ano passado, o brasileiro Filipe Toledo chega novamente como um forte candidato ao título do Championship Tour, da World Surf League (WSL) nesta temporada. Para 2019, o paulista divide a vontade de ser campeão mundial com a busca por uma vaga olímpica. Aos 23 anos, e como um dos maiores nomes da sua geração, Filipinho espera chegar ao topo do surfe na temporada que está prestes a começar.

Em 2018, o surfista liderou o ranking mundial durante boa parte do Circuito e caiu nas etapas final, deixando escapar a chance de ser campeão. Filipe revela que apesar de sentir uma certa frustração, aprendeu muito na temporada passada. "Eu acho que de repente em alguns momentos sim. Poderia ter feito algo melhor, mas tudo o que eu consegui alcançar em 2018 foi realmente muito gratificante. Então, apesar de não ter ganhado o título, eu me senti muito feliz com a minha performance, meu desempenho, minha evolução".

Campeão de duas etapas em 2018, Filipe viu seu amigo, Gabriel Medina levar a melhor no final da temporada. Foi a segunda vez que o surfista bateu na trave, já que em 2015, Filipe também ficou perto de faturar o título mundial. Sobre as duas experiências, o brasileiro acredita que ano passado não foi tão frustrante quanto quatro anos atrás. "Acho que em 2015 foi pior, pelo fato de eu não estar esperando, eu acho. Foi tudo tão natural e, quando me dei conta, eu estava perdendo aquela bateria para o Mason Ho em Pipe. Quando eu vi, estava tudo indo embora e foi tudo muito rápido. Mas 2018 foi um ano planejado, a gente já tinha metas traçadas e já sabia o que poderia acontecer e o que não poderia acontecer. Então já estava preparado psicológica e fisicamente.

Pronto para sua sétima temporada na elite do surfe, Filipe fala na sua evolução depois de brigar pelo título ano passado. "Acho que na cabeça (evoluí mais). A parte psicológica conta muito para um atleta profissional e esse ano de 2018 foi de muita aprendizagem para mim. Teve momentos ali que se não estivesse preparado, não teria conseguido. Acho que se a cabeça está muito boa, o resto flui. Então foi a minha dedicação no Taiti, minha bateria em Pipe, enfim campeonatos que as pessoas não imaginassem que eu fosse me dar bem, eu acabei me dando bem, então foi legal para caramba", revelou Filipinho.

Para a temporada que está prestes a começar, a expectativa e a confiança por brigar pelo título mais uma vez são grandes. "A expectativa é a melhor! Ano passado tive um ano de experiência, de mudança para mim, em todos os aspectos da minha vida e acho que esse ano, com um pouco mais de experiência, sólido nesse sentido, a expectativa é sempre a melhor e vou tentar brigar pelo título mais uma vez. Sem dúvida, a confiança é grande para chegar no Havaí disputando o título e tentar essa taça", finalizou Filipe.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade