0

Wall St dispara com esperanças de cortes de juros pelo Fed

4 jun 2019
17h30
atualizado às 18h17
  • separator
  • 0
  • comentários

Os três principais índices acionários de Wall Street tiveram um rali nesta terça-feira, na maior alta em cinco meses, depois de o chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, deixar a porta aberta para um possível corte nos juros.

 REUTERS/Brendan McDermid
REUTERS/Brendan McDermid
Foto: Reuters

Powell disse que o banco central norte-americano agiria "apropriadamente" para lidar com riscos da guerra comercial. Powell disse ainda que o Fed está "monitorando de perto as implicações" de uma disputa comercial que tem abalado os mercados globais.

Os comentários foram feitos um dia depois de o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, afirmar que um corte de taxa poderia ser justificado em breve.

A alta do S&P 500 nesta sessão foi a mais forte desde 4 de janeiro, quando Powell sinalizou uma postura mais "dovish" após as vendas generalizadas de ações ocorridas no fim de 2018, com a promessa de que o Fed seria paciente e flexível com a trajetória da taxa de juros.

Investidores têm apostado que o banco central dos EUA vai reduzir os juros pelo menos uma vez até o final de 2019, de acordo com a ferramenta Fedwatch, do CME Group. As declarações de Powell desta terça-feira corroboraram essas apostas.

"Dado o fato que há mais de 95% de probabilidade de um corte de taxa de juros, conforme contratos futuros de juros, é bom ouvir o Fed dizer que irá esperar que a economia lhe diga o que fazer. Se a economia desacelerar por causa das tarifas, o Fed vai considerar reduzir juros", afirmou JJ Kinahan, estrategista-chefe de mercado na TD Ameritrade.

O índice Dow Jones subiu 2,06%, a 25.332 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 2,143235%, a 2.803 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composto avançou 2,65%, a 7.527 pontos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade