0

Oratória e marketing pessoal: como impulsionar a sua imagem através da fala?

Expressar-se bem em diversas situações: o que tem a ver com marketing pessoal? Veja tudo neste artigo.

26 dez 2019
09h52
  • separator
  • 0
  • comentários

Olá, Speaker! Como você está? Espero que bem!

Fim de ano pode ser um período de mudanças, já que muitos profissionais encaram esse fim de ciclo como uma oportunidade de assumir novos desafios e de buscar ascender em suas atividades e profissões. Isso também acontece com você?

Tanto para que isso aconteça, ou seja, para que essa busca por cargos ou projetos de maior proporção tenha resultados, quanto para se firmar na posição e empresa em que já estamos, o marketing pessoal é uma ferramenta importantíssima.

Afinal, do marketing pessoal, dependem outros aspectos fundamentais para todos os profissionais hoje em dia, como, por exemplo: a capacidade de se expressar bem em diversas situações (incluindo saber falar de si mesmo sem arrogância, mas de uma forma atrativa) e a habilidade de fortalecer e aumentar a rede de contatos, o networking.

Neste artigo, veremos um pouco mais sobre esses pilares do marketing pessoal, ligado, sobretudo, à fala. Sei que, nesta época do ano, são muitos os encontros importantes e que podem se transformar em oportunidades de trabalho. Por isso mesmo, confira tudo o que separei na nossa conversa de hoje e esteja preparado para o que vier!

Foto: Shutterstock

Expressar-se bem em diversas situações: o que tem a ver com marketing pessoal?

Se o conceito de marketing pessoal ainda é um pouco confuso para você, pense no que é o marketing de forma geral. O que vem à sua mente? Provavelmente, uma série de campanhas publicitárias, estratégias para presença na web e tudo o mais que estiver relacionado à venda de um produto ou serviço, certo?

Pois bem. Se pensarmos no marketing como um conjunto de ferramentas e estratégias cujo propósito é o de vender um produto ou serviço, propagando-o na maior proporção possível, não é difícil compreender o que é o marketing pessoal.

A ideia é basicamente a mesma. No entanto, ao contrário de vender e/ou propagar um produto ou serviço, no marketing pessoal, o que se pretende é potencializar a própria imagem – que pode ou não estar vinculada a um serviço ou produto.

Em suma, marketing pessoal são estratégias direcionadas para “vender” a si mesmo, logrando que os outros nos vejam como profissionais competentes e referentes no nicho em que atuamos. Esses “outros” podem ser líderes, clientes e quem mais estiver involucrado no nosso círculo de trabalho.

Desse modo, expressar-se bem é um requisito essencial. Saber como lidar com situações de exposição de fala – apresentações ou discursos, por exemplo –, conseguir tirar o maior proveito possível de reuniões, ter a habilidade de fazer um bom PITCH e se sair bem em uma entrevista de trabalho são algumas das competências ligadas a esse requisito.

E como o marketing pessoal influencia no meu networking?

Networking é um dos conceitos mais populares nos últimos tempos. Na prática, nada mais é do que a rede de contatos que um profissional logra construir e que tem uma importância enorme em seu desenvolvimento profissional.

Em muitíssimas situações, especialmente quando se trata de cargos mais altos, as oportunidades de trabalho dependem bastante do networking. Desse modo, saber como estabelecer bons contatos e, mais que isso, entender qual a melhor maneira de conservá-los em sua rede, é algo que os profissionais modernos tiveram e têm que aprender.

O marketing pessoal é uma ferramenta fundamental para aumentar e conservar a rede de contatos. Eventos da empresa ou convenções com profissionais do mesmo nicho costumam ser oportunidades para isso. Conversas rápidas podem gerar bons frutos, desde que o profissional saiba aproveitá-las ao máximo.

Saber como iniciar uma conversa, como transmitir uma boa imagem pessoal e, principalmente, encontrar uma forma de que o outro se lembre (positivamente) de você são desafios do marketing pessoal para fortalecer o networking.  

 

No marketing pessoal, assim como em outras tantas circunstâncias, ter um raciocínio organizado, falar de forma interessante e conseguir dominar a linguagem não-verbal (gestos, voz, olhar e postura) são competências que fazem toda a diferença para o crescimento de um profissional.

Para fortalecer essas competências, um treinamento em oratória é o caminho mais eficiente. Pense nisso e inclua essa possibilidade na sua lista de metas para o próximo ano!

Dúvidas? Fale com a gente!

 

Fonte:

https://www.thespeaker.com.br/negociacao-persuasao/

The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade