5 eventos ao vivo

Vícios da fala: descubra se você tem algum e saiba como evitar em suas apresentações

Veja alguns exemplos de vícios da fala, como poluem a comunicação e como se livrar deles no seu convívio pessoal e profissional.

17 nov 2020
09h07
atualizado às 09h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Olá, Speaker!

Tipo, você sabe o que são os, ééé, chamados “vícios da fala”, né? Achou estranha essa frase? É porque ela está poluída com alguns exemplos de vícios de linguagem ou vícios da fala.

Quando estamos em uma situação de exposição de fala – uma reunião, uma entrevista de emprego, uma apresentação em público, um discurso e outras –, assumimos um papel de grande evidência.

O que isso significa? Significa que alguns vícios de fala que temos no nosso dia a dia adquirem uma proporção muito maior, justamente porque estamos sendo observados e ouvidos com mais atenção.

Vícios de fala podem influenciar negativamente a comunicação: não só o conteúdo que transmitimos, mas a imagem que nós passamos às pessoas.

Será que você tem algum vício desse tipo? Caso sim, o que fazer para evitá-los?

Siga a leitura até o final e informe-se!

Vícios da fala: quais são os mais comuns?

Vícios da fala são vícios de linguagem característicos da expressão oral, isto é, aqueles vícios que acontecem enquanto falamos. Alguns dos mais comuns são:

- Barbarismos: esse tipo de vício está ligado à pronúncia das palavras. É provável que você já tenha visto algum meme com exemplos: “pobrema”, “iorgute”, “mortandela”. Em apresentações em público ou situações similares, os barbarismos ficam evidentes.

- Solecismo: são, sobretudo, erros de concordância ou regência. Dizer “fazem três meses” no lugar de “faz três meses” é um exemplo. Outro é “houveram pessoas que”. É importante conhecer a forma correta e utilizá-la.

- Repetição de palavras: terminar todas as frases com “né?”, ou começar todas as frases com “e aí”, repetir “tipo”, “ok”, “então” e tantas outras possibilidades são exemplos comuns desse vício da fala.

Foto: Internet

Como saber se você tem algum vício na sua fala?

Antes de responder a essa pergunta, é importante esclarecer que, na linguagem oral, há mais flexibilidade na aceitação dos chamados vícios de linguagem. Sem falar, ainda, nas influências culturais e outros tantos fatores ligados à língua, que é dinâmica.

Contudo, para profissionais que têm que lidar com situações de exposição de fala (líderes e gestores, por exemplo), é preciso considerar que as pessoas julgam umas às outras pela maneira como falam, como se comunicam.

Quanto a isso, nesses cenários específicos e em alguns outros, os vícios de linguagem podem interferir negativamente na imagem profissional e na relação de confiança que se deseja criar com a audiência.

Voltando à nossa pergunta: como saber se você tem um vício de linguagem? Aconselho três alternativas:

1. Grave-se em vídeo e analise a sua comunicação, prestando atenção se há algum padrão e se ele é vicioso ou não é;

2. Peça um feedback sincero a alguém em quem confia (e que entende, ainda que minimamente, de comunicação);

3. Faça um treinamento em oratória. Nele, você será analisado por um especialista e poderá identificar se há vícios e no quanto interferem na sua imagem.

O que fazer para evitar esse problema em suas apresentações?

Agora que você já viu o que são vícios de fala, é importante saber como superá-los e evitá-los em apresentações. Veja:

1. Identifique o problema

Utilize um (ou mais) dos três passos que eu citei no tópico anterior para descobrir se você tem algum vício de fala e qual é ele.

2. Planeje a transição das informações

Os vícios de fala costumam aparecer quando o comunicador sente que precisa de uma pausa, especialmente nas transições entre um tópico e outro. Se você planejar essas transições, diminuirá as chances de que esses vícios apareçam.

3. Pratique

A melhor forma de lapidar sua comunicação é praticando. Se você tem um evento próximo, como uma entrevista ou um discurso, dedique-se ao máximo para se planejar e para praticar a sua performance.

Uma boa ideia é fazer isso em frente a uma câmera, mesmo que o evento seja presencial. Grave a si mesmo enquanto fala e utilize esse material para analisar o que precisa ser melhorado, incluindo, claro, os vícios da fala.

Jornada Destrave: como participar e destravar a sua comunicação?

Tenho um convite especial para você, Speaker: nos dias 24, 25 e 26 de novembro, às 20h, vai acontecer a Jornada Destrave! Serão três aulas comigo sobre comunicação. Vou falar sobre as técnicas exclusivas que uso na The Speaker!

 As inscrições são gratuitas e já estão abertas. Você pode se inscrever aqui: https://oratoria.thespeakeroratoria.com.br/jornadadestrave

Nos vemos lá!

 

Fonte:

https://thespeaker.com.br/vicios-da-fala-como-e-por-que-evita-los-em-suas-apresentacoes/

Veja também:

Porsche Taycan, o carro elétrico que é uma obra-prima
The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade