0

Público sonolento nas suas apresentações? Module sua voz!

Ver a plateia cochilando durante sua apresentação, é desconfortável, não é verdade? Aprenda a modular sua voz para evitar esse problema.

27 nov 2017
09h46
  • separator
  • comentários

Olá, Speakers! Tudo bem?

Um dos maiores medos de todo comunicador é ver a plateia cochilando durante uma apresentação, não é verdade? Se você já viu isso acontecer em algum discurso, sabe que é uma situação bastante constrangedora: tanto para quem fala como para quem foi assistir.

A boa notícia, Speaker, é que essa não é uma questão de sorte ou azar. Existem técnicas para prender a atenção do público do começo ao fim de uma apresentação. E essas técnicas têm a ver com uma ferramenta que todos nós já usamos: a nossa voz.

Na nossa conversa de hoje, separamos algumas dicas importantíssimas sobre como usar a nossa voz da maneira correta e, assim, evitar o tédio nas apresentações e manter o público acordado e atento durante toda a nossa fala.

Vamos lá?

Foto: The Speaker

Module a sua voz

Você já ouviu dizer que a voz é um instrumento? Pois, bem. Pensar na voz dessa forma não é privilégio apenas dos cantores ou músicos. Para nós, comunicadores, isso também vale (e muito!). Numa apresentação em público, você, Speaker, é o ator principal e a sua voz é, sim, o instrumento.

Quando fazemos uma apresentação em público, devemos modular a nossa voz. “Ok, Lívia. Mas o que é isso?”. Simples, Speaker! Modular a voz significa falar em tons diferentes.

Se você mantiver o mesmo tom de voz em toda a sua fala, é muito provável que o público deixe de prestar atenção em você. Isso é um processo natural: o ser humano tende a distrair-se quando não se sente motivado. Se você fala em mais de um tom, desperta a curiosidade do público e evita qualquer cochilo inapropriado.

Para entender esse item, pense na palavra “monótono”. Já sabemos que monótono é algo tediodo, sem graça, não é verdade? Bem, monótono significa “único tom”. Ficou fácil entender agora a importância de modular a voz, certo?

Preste atenção no volume da sua voz

Agora que já sabemos que é preciso modular a voz, vamos falar sobre outro item muito importante nas apresentações: o volume da nossa fala. Qual é o volume ideal para uma apresentação? Alto ou baixo?

Muita gente pensa que falar alto garante a atenção do público, mas isso não é totalmente verdade. Às vezes, volumes muito altos fazem o efeito contrário: incomodam tanto o público que as pessoas deixam de prestar atenção no que estamos dizendo.

Falar muito baixo também não é a melhor ideia. Além de dificultar o entendimento do que estamos falando, deixa a apresentação pouco atrativa, nos aproximando do inimigo número um de todo comunicador: o tédio.

O mais indicado, Speakers, é usar um volume mediano e ir variando de acordo com o contexto. Se você deseja dar certo suspense a alguma parte de sua apresentação, um volume mais baixo pode ser um grande aliado. Se a intenção é surpreender o público em algum momento, volumes um pouco mais altos cumprem bem o papel.

Resumindo: opte por um volume que esteja no meio do caminho e varie a altura de acordo com o que deseja causar no seu público. Ok?

Faça pausas

Não se esqueçam, Speakers: o silêncio é muito importante numa apresentação em público e pode ser um grande aliado na hora de fazer um discurso inspirador e impactante. Por isso, faça pausas!

As pausas são essenciais para que o público tenha tempo de pensar naquilo que acabou de ouvir antes de assimilar tudo o que ainda está por vir na apresentação. Também são esses momentos de silêncio que nos ajudam na hora de dar um grau maior de emoção ou suspense a uma história.

Quando estamos um pouco nervosos, nossa tendência é falar sem parar. Se apresentamos nossa mensagem às pressas, temos grandes chances de não falarmos tudo o que desejamos. E, pior ainda: enormes chances de que o público tenha desistido de nos acompanhar nesse caminho.

Enfatize as palavras-chave do seu discurso

Você provavelmente já deve ter ouvido em algum lugar que a internet mudou o jeito que as pessoas lêem, não é verdade? Hoje em dia, é muito difícil que alguém leia um texto gigante, sem pausas e em parágrafos muito longos.

“Muito interessante, Lívia, mas o que isso tem a ver com a minha apresentação em público?”. Ora, meu caro Speaker, isso tem TUDO a ver com a sua apresentação. Uma história contada oralmente também obedece a esse novo jeito de se comunicar.

As pessoas estão acostumadas às redes onde as informações são rápidas. Se vão a uma apresentação, também esperam essa mesma eficácia e agilidade. Quando você fala em público, é preciso destacar oralmente suas palavras-chave e, assim, prender a atenção da sua plateia.

Para enfatizar as palavras-chave, você pode alterar o volume, o tom ou a velocidade de sua fala. Certo?

Coordene a voz com a expressão facial

Você já assistiu algum vídeo viral em que um repórter ri durante o anúncio de uma notícia ruim? Isso é péssimo, não é verdade? Bem, na nossa apresentação, acontece a mesma coisa.

É necessário ser coerente entre o que estamos dizendo e nossa expressão facial. Por exemplo: se você está contando uma história super emocionante, mas o seu rosto não demonstra nenhuma emoção, o público provavelmente será menos influenciado pela sua fala.

Pense na sua voz e no seu rosto como uma dupla que trabalha unida: um deve responder ao que o outro faz. Certo?

Uma boa forma de testar todas esss cinco dicas é treinar a sua apresentação com antecedência. Para isso, grave a sua fala e ouça com atenção. Ao escutar a si mesmo, você conseguirá perceber pontos a melhorar. Sei que ninguém gosta de ouvir a própria voz, mas essa é uma boa forma de treinar.

Se você quer se dedicar ainda mais, sugerimos algum dos nossos cursos online sobre oratória. Nesses cursos, você será assessorado de acordo com suas necessidades e receberá muitas dicas para falar em público! Te esperamos!

Fonte: The Speaker

The Speaker

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade