1 evento ao vivo

Por que criar empatia e interação com o seu público é tão importante?

Com a empatia, conseguimos mostrar que entendemos a realidade de quem nos assiste e, assim, conquistar a confiança do público.

15 abr 2019
07h00
  • separator
  • comentários

Speakers! Como vocês estão?

A palavra “empatia” é usada nos mais diversos contextos, mas não é tão comum quando falamos em comunicação e oratória.

No entanto, criar empatia com o público não deveria ser tão subestimado porque, além de ser um dos desafios do comunicador, é algo que impacta positivamente qualquer situação de exposição de fala.

Por isso – e sabendo que não é um tema tão abordado –, a nossa conversa de hoje é sobre empatia. Além de falar sobre a importância dela, também veremos algumas técnicas para interagir com o público, cuidado que está intimamente relacionado a esse conceito. Vamos lá?  

Foto: Shutterstock

Por que criar empatia com o público é importante?

Os conceitos de empatia definem esse sentimento como a capacidade de se colocar no lugar do outro. Se pensarmos em quais são os principais objetivos das apresentações em público, provavelmente chegaremos à intenção de inspirar as pessoas em relação a algo.

Com a empatia, conseguimos mostrar que entendemos a realidade de quem nos assiste e, assim, conseguiremos, de uma forma mais fácil, conquistar a confiança dessas pessoas.

Não se confundam, Speakers, quando me refiro à empatia, não quero dizer que ela é importante apenas em apresentações cujos temas são diretamente relacionados a algo emotivo. Esse conceito se aplica a todas as apresentações, como, por exemplo, aquelas cujo propósito é a venda de um produto ou serviço.

Se queremos vender um produto ou serviço, precisamos mostrar que ele é útil, que pode trazer mudanças positivas. Para fazer isso, é necessário criar empatia com as pessoas às quais esse produto ou serviço é destinado, demonstrando que conhecemos sua realidade e estamos convencidos que temos algo bom a oferecê-las.

Existem muitas maneiras de criar empatia. Para que isso aconteça, há ferramentas eficazes, como a interação com o público e o cuidado na hora de escolher a forma para transmitir o conteúdo. Por isso, veremos a seguir esses dois aspectos detalhadamente.

Como criar interação com o público?

Técnicas para interagir com o público podem ser aplicadas nas mais diversas situações de exposição de fala. E tais técnicas são simples, vejam algumas:

1. Sugerir que as pessoas façam anotações

2. Propor um quiz com perguntas rápidas e simples

3. Fazer perguntas do tipo SIM ou NÃO

4. Pensar em exercícios escritos e utilizar as respostas durante a sua fala

5. Reservar um tempo para responder perguntas e abrir para discussão

E a empatia?

Como eu disse no começo deste artigo, a empatia e a interação com o público caminham lado a lado. Criando interação, você faz com que a sua fala seja muito mais interessante, o que automaticamente faz com que as pessoas percebam a sua apresentação como algo mais positivo.

Também vimos que outro fator essencial para despertar empatia (e mostrar que sentimos empatia pelo público) é pensar na forma como apresentamos nosso conteúdo. Quando pensamos em empatia, sem dúvida alguma, uma das técnicas mais eficazes é a storytelling, ou seja, a capacidade de contar uma história.

Por que isso é assim? Porque as pessoas tendem a se inspirar muito mais por um personagem do que por um dado concreto; tendem a sentir mais emoção por uma história do que por uma porcentagem (por mais impactante que ela seja); tendem a perceber a si mesmas quando escutam uma experiência de outra pessoa.

Sendo assim, procure repensar a maneira como você transmite o seu conteúdo. Contar uma história – seja ela própria ou de alguém – eleva consideravelmente as chances de criar empatia. Da mesma forma, ao mostrar uma história com a qual o seu público se identifica, você demonstra que entende esse público, que é empático em relação ao seu dia a dia.

Alinhado a tudo isso (ou seja, à capacidade de interagir e à habilidade de contar uma história) está a paixão e a segurança com que transmitimos a nossa mensagem. Mostrar que você se importa com o público e que tem paixão por aquilo que acredita são passos indispensáveis para gerar empatia e, assim, aumentar consideravelmente as suas chances de inspirar os demais.

De modo similar, só é possível despertar empatia se transmitimos confiança. E, para que essa imagem confiável esteja presente, é indispensável dominar verdadeiramente o conteúdo da nossa fala, nos preparando com antecedência o máximo e o melhor possível!

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

 

The Speaker

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade