0

Oratória persuasiva: três pilares para construir a sua

Um dos aspectos mais importantes para que essa comunicação aconteça é o poder de persuasão.

6 mai 2018
15h39
atualizado em 7/5/2018 às 06h00
  • separator
  • comentários

Olá, Speakers!

Quando pensamos em uma boa comunicação, nos referimos à capacidade de nos expressarmos de um modo assertivo, eficaz na hora de transmitir nossas ideias, desejos, insatisfações e, assim, inspirar as outras pessoas.

Um dos aspectos mais importantes para que essa comunicação aconteça é o poder de persuasão. Muitas pessoas confundem persuasão com manipulação, mas esses são conceitos bem diferentes!

Persuadir uma pessoa ou um grupo de pessoas é oferecer argumentos contundentes, capazes de incitar uma nova forma de pensar e, consequentemente, de agir. Como podemos ver, não é o mesmo que obrigar os outros a terem as mesmas opiniões que as nossas, mas, sim, expressar e defender nossas opiniões através de uma boa comunicação.

Foto: ShutterStock

Para desenvolver as habilidades de uma oratória persuasiva, é necessário estarmos atentos para alguns itens que embasam a boa comunicação. Neste texto, separei três dos que considero os pilares mais importantes para uma oratória persuasiva.

Veja e saiba como se comunicar melhor!

1. Saber controlar as nossas próprias emoções

Falar em público desperta em nós, comunicadores, uma série de emoções. Às vezes, boas e, às vezes, nem tanto. Com o tempo – e a prática – aprendemos a direcionar essas nossas emoções, sabendo usá-las como estratégias para uma boa apresentação em público.

Durante as exposições orais, as emoções do comunicador são refletidas no público. Ou seja, se o comunicador se sente inseguro ou ansioso, provavelmente as pessoas na plateia também se sentirão assim e dificilmente essa será uma boa apresentação em público.

Por outro lado, se o comunicador consegue controlar suas emoções negativas, substituindo por outras, mais positivas (como entusiasmo e confiança) as pessoas do público irão compartilhar esses bons sentimentos, com uma sensação de segurança, confiança e entusiasmo com o que estão escutando.

Por que isso acontece? Porque, durante uma apresentação em público, o comunicador atua como um líder. Logo, o que ele faz e sente é espalhado no público.

2. Poder se comunicar sem a máscara do corporativismo

Speakers, as melhores apresentações em público não são aquelas que têm um conteúdo brilhante, mas, sim, aquelas que conseguem inspirar as pessoas através da emoção. Obviamente, o conteúdo é importantíssimo, mas a FORMA como apresentamos esse conteúdo para o público é fundamental.

Um dos caminhos mais eficazes para inspirar pessoas é compartilhando nossas próprias emoções. No entanto, durante a nossa rotina no trabalho, estamos a costumados a usar uma máscara de neutralidade. Essa máscara – que, aqui na The Speaker, eu costumo chamar de ‘máscara do corporativismo – faz com que tenhamos as mesmas expressões faciais, independente do que estamos sentindo ou dizendo.

Nas apresentações em público, é importante conseguir expressar emoções através dos gestos, da fala e das expressões faciais. Se mantivermos a mesma postura, o mesmo tom de voz e a mesma expressão facial durante toda a nossa fala, dificilmente conseguiremos ter uma apresentação interessante.

Quando conseguimos mostrar nosso entusiasmo, despertamos isso nas pessoas que foram nos assistir. Portanto, em suas próximas apresentações, procure não esconder seus sentimentos e emoções. Eles, se usados corretamente, são estratégias importantes para uma oratória persuasiva!

3. Utilizar técnicas de persuasão

Os dois pilares anteriores – bastante ligados às emoções – são a base para uma oratória persuasiva. Ao colocá-los em prática, já teremos um caminho seguro para persuadir as pessoas sobre determinada ideia ou informação.

Ainda assim, existem algumas técnicas de oratória persuasiva que complementam os dois pilares anteriores. Algumas dessas técnicas são:

- Utilizar elementos surpresas: ser criativo é indispensável para uma boa apresentação em público. Para uma oratória persuasiva, é preciso incluir, nas nossas exposições orais, elementos surpresas, que movimentam a nossa fala e servem para prender a atenção do público.

Esses elementos podem ser dinâmicas simples de grupo (como responder perguntas levantando as mãos), uso de músicas ou uma apresentação de imagens em slides.

- Transmitir segurança: para que alguém seja convencido sobre determinado argumento, esse alguém deve se sentir seguro sobre a verdade desse argumento e isso só é possível se o comunicador consegue transmitir segurança sobre o que está dizendo. Caso contrário, será praticamente impossível persuadir os outros.

O primeiro passo é, então, estar informado sobre o conteúdo da apresentação. Em seguida, é importante praticar a exposição oral, treinando a própria fala com antecedência. Esses dois hábitos aumentam consideravelmente a confiança do comunicador e fazem com que seja transmitida uma imagem de segurança para o público.

- Criar um espírito de união: se analisamos os discursos mais persuasivos da história, não é difícil perceber que os comunicadores falam para toda uma comunidade, fazendo uso do pronome “nós” e criando uma ideia de união.

Essa é uma estratégia MUITO eficaz para uma oratória persuasiva porque desperta nas pessoas a sensação de pertencimento, fazendo com que elas se abram a novas ideias com mais facilidade.

Gostaram do texto de hoje, Speakers?

Com essas dicas, é mais fácil nos comunicarmos de forma persuasiva, seja em apresentações em público, no trabalho ou no nosso dia a dia!

Fonte:

www.thespeaker.com.br

The Speaker

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade