5 eventos ao vivo

Oratória para políticos: 7 técnicas indispensáveis

As eleições estão se aproximando. Nesses últimos dias de campanha, políticos de todas as partes do país intensificam suas aparições

14 nov 2020
14h11
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Olá, Speaker!

As eleições estão se aproximando. Nesses últimos dias de campanha, políticos de todas as partes do país intensificam suas aparições em público, na tentativa de conquistar os últimos leitores ainda indecisos.

Neste ano, as eleições acontecem em um contexto bastante particular: praticamente não houve comícios, eventos com público, “porta a porta”: quase todas as estratégias tiveram que migrar para o online, para o digital.

Falar bem em público, persuadir e reter a atenção são habilidades imprescindíveis para profissionais de diversas áreas. Mas, para os políticos, elas são praticamente um instrumento de trabalho – tanto em campanha quanto depois de eleitos.

Na oratória para políticos, quais técnicas são indispensáveis? Confira a seguir!

Foto: Internet

1. Falar em público

Sim, quando pensamos na oratória para políticos, é provável que a primeira técnica e habilidade que vem à sua mente seja esta: a de saber falar em público, discursar para multidões...

Ainda assim, é impressionante a quantidade de políticos que não domina essa habilidade, incluindo aqueles que ocupam alguns dos mais altos cargos do país. Por essa razão, aqueles que, sim, sabem falar em público têm um grande poder nas mãos.

Alguns dos deslizes mais comuns quanto a essa habilidade é:

- Ler o discurso integralmente, sem fazer contato visual

- Vícios de linguagem

- Uso de frases e expressões muito nichadas e inacessíveis à parte da população

- Linguajar com expressões e palavras conhecidas por seu “baixo calão” (palavrões)

2. Persuadir

Pense nas campanhas políticas especificamente: qual é o propósito delas? Não é o de convencer as pessoas a votarem em um determinado candidato? Bem, esse convencimento é, na verdade, a persuasão.

Por esses e outros motivos, aos políticos, é importantíssima a habilidade de persuadir, de ser capaz de inspirar as pessoas a um determinado call to action, a uma determinada chamada para a ação.

Essa habilidade está intimamente ligada à de falar em público.

3. Adaptar o discurso

Os eleitores talvez sejam o público mais diverso que existe. Há pessoas de vários lugares, várias profissões, diferentes graus de instrução, de poder aquisitivo... Como, então, conseguir chegar até todo esse público, essa audiência?

A resposta é: adaptando o discurso. Alguns dos grandes políticos da história são conhecidos pelo seu poder de adaptação de discurso. Eles têm ou tinham a habilidade de dialogar com diferentes classes sociais, com pessoas de histórias e dores diversas.

Essa adaptabilidade é algo que se aprende, se desenvolve e se aprimora.

4. Dominar a linguagem não-verbal

Políticos estão em evidência. Mesmo agora, no online, eles chamam para si as atenções e são julgados pelo que expressam – verbalmente ou através da dinâmica não-falada.

Em razão disso, além de aprender a lapidar sua fala, é importante saber dominar a linguagem não-verbal e garantir que ela comunique exatamente aquilo que se quer. Isso evita um ruído entre a fala e as expressões corporais e faciais.

5. Escuta ativa

Como seria o mundo se todos os políticos fossem capazes de ouvir de verdade? A escuta ativa é outra habilidade indispensável aos políticos. Não apenas em relação aos seus eleitores, mas em outras situações, como nos debates.

Vamos focar nisso, nos debates: um político que ouve seu opositor consegue estabelecer as melhores estratégias para responder às perguntas que lhe são feitas, consegue traçar o melhor caminho para impulsionar a sua própria fala.

6. Saber lidar com a comunicação digital

No começo deste artigo, eu disse que as eleições deste ano são marcadas por uma particularidade: o protagonismo do online. O que antes era feito em um palanque passou a ser feito em frente a uma câmera, em um estúdio (ou não).

Por mais que o isolamento social se torne cada vez menos estrito, a habilidade de saber se posicionar na internet não perderá a sua relevância. Por isso mesmo, aos políticos, é primordial saber lidar com a comunicação digital e seus vieses.

7. Debater

Os debates fazem parte do dia a dia político, embora nem todos os políticos sejam capazes de debater de verdade. Um debate é – ou deveria ser – uma discussão de ideias, de propostas e não um enfrentamento pessoal.

Em razão disso, uma competência importante no meio político é a de saber debater e evitar que um conflito de ideias se transforme em um confronto pessoal e vazio de conteúdo.

 

Todas essas técnicas são fundamentais para políticos, seja durante a fase de campanha eleitoral, seja no dia a dia durante o tempo no qual exercem seus mandatos.

É importante dizer que essas técnicas também são necessárias para quem não é político. Líderes, colaboradores, vendedores e tantas outras profissões ou cargos também demandam esse tipo de habilidade.

 

Fonte:

https://thespeaker.com.br/oratoria-para-politicos-quais-sao-os-7-erros-mais-comuns-da-comunicacao-politica/

Veja também:

Porsche Taycan, o carro elétrico que é uma obra-prima
The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade