1 evento ao vivo

Oratória no online e presencial: consigo o mesmo rendimento?

Você acredita que as exigências para um evento online são as mesmas de um que aconteceria presencialmente?

8 set 2020
08h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Olá, Speaker!

Você acredita que as exigências para um evento online são as mesmas de um que aconteceria presencialmente?

Se a resposta for “sim”, pode ser que sua performance esteja sendo prejudicada, afinal, entre uma situação e outra, há diferenças que precisamos considerar.

Muitas entrevistas, conferências, apresentações, reuniões, aulas, treinamentos, vendas e eventos em geral têm migrado para o online.

E como fica a oratória no meio disso tudo? As técnicas do presencial também valem para o online?

Sim e não. Há técnicas que são indispensáveis para esses dois contextos. Mas também há outras que você precisa desenvolver e aprimorar para lidar bem com a comunicação digital.

É o que falo neste artigo, vamos lá?

Foto: The Speaker

O que muda no ‘tela a tela’?

Praticamente tudo, Speaker. O fato de existir uma tela entre você e sua audiência impacta significativamente o processo de comunicação. Por que, então, você não deveria mudar a forma como se prepara?

Quem entende que o online tem especificidades dá um passo mais para se adaptar a essa realidade que fará cada vez mais parte do dia a dia de todos os profissionais, independentemente do nicho, cargo ou profissão.

Há, como eu disse, muitas diferenças a se considerar. Dentro de todas, as que eu considero principais são:

- A dinâmica não-falada

Um sorriso. Um bocejo. A postura. Gestos. Todos os sinais que sua audiência envia são mais facilmente captáveis no presencial. Igualmente, seus sinais, enquanto comunicador, são melhor assimilados nesse contexto.

Em outras palavras, é mais difícil interpretar a linguagem não-verbal no online. Afinal, o espaço da tela é reduzido, a imagem que vemos e emitimos também o é. Por isso mesmo, pensar em como potencializar essa linguagem é fundamental.

Como ser expressivo no online? Como alinhar a minha postura? Como me mover numa gravação de vídeo? Para onde olhar? Tudo isso deve constar na sua preparação e planejamento.

- A interação

Outra diferença que eu considero CENTRAL é a interação.

No online, a interação tende a ser muito menor do que no presencial. Presencialmente, grande parte da interação acontece de maneira natural. No online, ela precisa ser encorajada.  

Isso quer dizer que é indispensável planejar maneiras de interagir com a sua audiência em eventos digitais. Felizmente, as múltiplas plataformas online contam com possibilidades eficientes: quizes, chat ao vivo, enquetes, entre outras.

- O conteúdo

E o conteúdo, pode ser o mesmo no online e no presencial? Não. O online pede situações de exposição de fala mais curtas e esse é um dos motivos pelos quais a adaptação do conteúdo é necessária.

O digital, por si só, demanda mais assertividade. É um espaço de imediatismos: as pessoas querem consumir informações relevantes de maneira ágil.

Se você estava se preparando para um evento que aconteceria presencialmente, mas mudou para o digital, adaptar o seu conteúdo é um cuidado importante.  

O que NÃO muda no ‘tela a tela’?

No começo dessa nossa conversa, eu disse que há certos parâmetros que não mudam, seja a situação de exposição de fala presencial ou no online. Quais são eles?

- A necessidade de roteirizar

Criar um roteiro para a sua fala é uma estratégia imprescindível tanto no online quanto no presencial. É a maneira que você tem de planejar o conteúdo, aprimorá-lo, priorizar informações e definir sua abordagem.

- A importância da organização do raciocínio

Uma fala organizada implica um raciocínio bem ordenado. E isso não muda, seja no online seja no presencial. Conheça e aplique técnicas de organização de raciocínio. Isso impulsionará a maneira como se comunica.

- A prática prévia

O presencial exige prática? Sim E o online? Também! Ambos contextos demandam uma prática prévia para que você possa se familiarizar com sua fala, pensar na linguagem não-verbal, nas pausas e em outros aspectos relevantes.

 

A comunicação digital ainda é algo novo. Estamos reaprendendo a nos comunicar – agora, através de uma tela. Em um vídeo. Em uma call.

Entender esse novo contexto e, principalmente, conhecer as suas especificidades nos permite uma adaptação mais rápida e otimizada, para uma performance eficiente em quaisquer contextos nos quais tenhamos que nos comunicar.

Qual é a sua dúvida sobre comunicação digital?

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

Veja também:

Eldorado Expresso: Fome no Brasil
The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade