1 evento ao vivo

A importância da expressão corporal e facial na oratória

Já aconteceu de vocês irem a uma apresentação onde o comunicador manteve a mesma expressão facial durante todo o tempo?

24 set 2018
07h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Oi, Speakers! Tudo bem?

Já aconteceu de vocês irem a uma apresentação onde o comunicador manteve a mesma expressão facial durante todo o tempo?

Se sim, provavelmente vocês devem ter percebido o quanto esse hábito prejudica a exposição oral, já que faz com que a fala se torne artificial, desinteressante e pouco emotiva.

Em todas as situações que envolvem exposição de fala, as expressões corporais e faciais são de extrema importância. Afinal, a comunicação não se dá exclusivamente pela fala, mas por todo um conjunto de elementos, tanto verbais como não-verbais.

Na nossa conversa de hoje, vamos falar um pouco mais sobre a importância da expressão corporal e facial na oratória. Informe-se e saiba como aprimorar sua performance nas apresentações em público!

Foto: Shutterstock

Expressão corporal: o que precisamos saber sobre ela?

Em uma apresentação, o nosso principal objetivo é conseguir prender a atenção do público, para que as pessoas realmente escutem e assimilem o conteúdo que está sendo transmitido por nós.

Parte importantíssima para conseguir reter a atenção das pessoas está, justamente, em nossas expressões corporais. Por mais que o conteúdo da nossa fala seja interessantíssimo, a mensagem que passamos através do nosso corpo influenciará bastante.

Um comunicador com uma má postura, por exemplo, pode transmitir a sensação de desânimo. E, oras, se nem mesmo o comunicador se sente entusiasmado com a sua fala, quem mais sentirá, não é verdade?

Por tudo isso, manter uma boa postura e saber como gesticular são técnicas essenciais.

É preciso destacar, ainda, que o exagero na forma como gesticulamos também pode ter um feito negativo. Se as pessoas da plateia prestam mais atenção no que o comunicador está fazendo do que no que ele está falando, há um erro de comunicação aí.

Quando pensamos em como gesticular, a regra do meio termo é a melhor solução. Ainda assim, vejamos algumas técnicas para usar melhor os gestos (e toda a expressão corporal):

- Gesticular mantendo as mãos entre a altura do nosso queixo e nossa cintura, evitando movimentos muito bruscos;

- Não permanecer as mãos nos bolsos ou com os braços cruzados;

- Evitar usar uma perna como apoio: ao fazer isso, o corpo se inclina para um dos lados, prejudicando a postura e, por vezes, transmitindo a sensação de tédio ou de desinteresse com a própria fala.

- Não ficar andando de um lado para o outro no palco.

E as expressões faciais?

Existem diversos mitos relacionados à oratória e um deles é o mito da neutralidade. Algumas pessoas acreditam que, ao subirem em um palco para uma apresentação, devem adotar uma expressão facial neutra, independente do que estão falando. Mas isso, Speakers, é um enorme equívoco.

Durante uma apresentação (ou outro contexto de exposição de fala), o que o comunicador quer é criar uma relação com o seu público, de forma que esse público preste atenção no que está sendo dito.

Para que essa relação aconteça, distanciar-se do público não é o caminho. E, ao mantermos uma expressão facial neutra, criamos uma enorme barreira entre nós e quem está na plateia. O comunicador é uma pessoa como qualquer outra e não deixa de sentir emoções quando está no palco. Esconder essas emoções não é uma boa estratégia comunicacional.

Ao encarar com naturalidade as expressões faciais, nos humanizamos e, assim, despertar a empatia do público será mais fácil. O importante é que as expressões faciais estejam em sintonia com o que se está dizendo. Se o trecho em questão for alegre, não tenha medo de sorrir. Colocar uma máscara de neutralidade não nos faz melhores comunicadores: acreditem!

Como vimos, Speakers, a importância da expressão facial e corporal na oratória é imensa. Assim como todos os outros aspectos da oratória, aprendemos a lidar com eles através de prática e estudos, com a orientação de quem está capacitado para isso.

Lembrem-se: oratória não é um dom, mas uma habilidade que se adquire ao longo da vida, através de informações atualizadas e coerentes.

Se você quer aprimorar a sua oratória, aprendendo a gesticular e a utilizar expressões faciais corretamente, conheça nossos cursos de oratória e avalie qual deles é o melhor para você!

Fonte:

www.thespeaker.com.br

The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade