0

Discurso de Bolsonaro no 7 de setembro: quanto à oratória, o que fica?

Veja pontos positivos e negativos do discurso oficial de Jair Bolsonaro no que tange especificamente à comunicação e oratória.

12 set 2020
14h57
atualizado às 14h57
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Pela primeira vez desde a ditadura, não houve o tradicional desfile da Independência no 7 de setembro. As festividades, assim como o já esperado discurso oficial do Presidente da República, migraram para o online.  

O presidente Jair Bolsonaro gravou o seu discurso, trocando o púlpito pela câmera – uma tendência deste 2020. Dessa fala curta, transmitida pela TV, ficam análises importantes quanto à comunicação.

Como foi a expressividade do presidente? E a escolha da linguagem, foi eficaz? O que dizer, ainda, do uso do teleprompter? É exagero dizer que foi mecanizada?

Veja, a seguir, a minha análise sobre esse discurso – tão diferente dos demais.

Foto: Internet

Discurso de Bolsonaro – Pontos Positivos

Analisar discursos e pronunciamentos de líderes é uma maneira de aprender: aprender tanto o que fazer quanto o que evitar nas nossas próprias situações de exposição de fala.

Nessas análises, nunca está demais relembrar que não nos focamos na parte política, mas, sim, e unicamente, na comunicação e seus aspectos centrais.

Dito isso, destaco alguns PONTOS POSITIVOS da fala do presidente:

- O USO DE PAUSAS:

Ao contrário de outras falas de Jair Bolsonaro, sobretudo aquelas ao vivo e sob improviso, o presidente aplicou bem as pausas no discurso gravado para o 7 de setembro.

Ao aplicar bem esses silêncios, marcou as suas frases e logrou destacar trechos que, provavelmente, julgou mais importantes que os demais.

As pausas também são importantes para assimilação do público, sabendo que o vídeo seria transmitido para todo o país e para pessoas de diversos perfis e contextos.

- A ESCOLHA DA LINGUAGEM:

A linguagem do discurso foi muito mais amena que em outros. Uma das críticas que se faz ao presidente é em relação à linguagem que utiliza: por vezes, excessivamente coloquial.

No pronunciamento oficial do 7 de setembro, nota-se que houve um maior rigor na escolha da linguagem. Disso, pode ser que uma das intenções era transmitir um tom mais moderado.

A linguagem escolhida foi majoritariamente formal, mas acessível. Uma boa alternativa para um vídeo que deveria chegar a milhões de brasileiros que, como eu disse, têm perfis diferentes entre si.

Discurso de Bolsonaro – Pontos Negativos

A oratória de Bolsonaro sempre esteve no centro das críticas de quem analisa esse tipo de competência. Nesse discurso especificamente, alguns pontos negativos que merecem ser destacados são:

- A FALTA DE EXPRESSIVIDADE:

A linguagem não-verbal do presidente é um dos pontos de maior evidência nesse pronunciamento. Ele permanece praticamente todo o tempo com a mesma expressão facial. Quando arrisca um sorriso e um gesto, ambos soam muito artificiais.

Um dos desafios dos líderes é gerar empatia. Com uma linguagem não-verbal pouco expressiva, isso passa a ser ainda mais difícil. Por mais que se trate de um vídeo gravado, a expressividade tem um papel fundamental.   

- O USO DO TELEPROMPTER:

Claramente, o presidente leu toda a sua fala durante a gravação do vídeo. Aliás, esse foi um dos motivos pelos quais a sua linguagem não-verbal esteve TÃO limitada.

Quanto a isso, é importante esclarecer que o teleprompter é um recurso útil, mas deve ser utilizado com cautela. Quando o teleprompter deixa de ser uma ferramenta e se torna a “bengala”, isto é, o apoio central de uma fala, há um problema.

O resultado da leitura na íntegra, no caso de Bolsonaro e em tantos outros, é uma fala mecânica, pouco expressiva e, logo, que retém muito menos a atenção do público.  Nada soa natural e esse é um grande erro quanto à oratória.

 

Entender os erros e acertos do presidente é uma estratégia para sabermos ao que nos atentarmos nas nossas próximas falas e, sobretudo, nas nossas gravações de vídeo.

O discurso de Bolsonaro é, ainda, um excelente exemplo de como a necessidade de desenvolver e aprimorar habilidades da comunicação digital é um cuidado urgente!

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

Veja também:

Trump x Biden: por que a eleição presidencial nos EUA é tão importante para o combate global às mudanças climáticas?
The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade