2 eventos ao vivo

Como mediar conflitos

Seja na vida pessoal ou no trabalho, situações de divergência acontecem e é preciso estar preparados para lidar com elas.

7 nov 2018
07h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Speakers! Tudo bem com vocês?

Encarar conflitos é algo que todos nós, em algum momento da nossa vida, teremos que lidar. Seja na vida pessoal ou no trabalho, situações de divergência acontecem e é preciso estar preparados para lidar com elas da melhor forma possível.

O gerenciamento de crises e a mediação de conflitos requerem muitas habilidades, como, por exemplo, a habilidade de conseguir ouvir todos os lados envolvidos e manter, mesmo sob pressão, uma visão imparcial.

Para mediar conflitos e gerenciar crises, a oratória é decisiva. Afinal, é só através de uma boa comunicação que se torna possível superar esses obstáculos, tanto no dia a dia quanto na trajetória profissional.

Na nossa conversa de hoje, vamos falar sobre a mediação de conflitos, o gerenciamento de crises e o papel (essencial) da comunicação em tudo isso. Vamos lá?

Foto: Shutterstock

1. Reconheça o conflito e crie um diagnóstico para ele

Reconhecer que um conflito existe é parte importante do processo. Muitas vezes, ignora-se um conflito por negação ou porque é mais fácil ir deixando de lado, esperando que os problemas desapareçam por si só.

O que acontece, Speakers, é que raramente um problema desaparece por própria conta. Por isso, quanto há um conflito, é preciso reconhecê-lo e pensar em alternativas para mediá-lo.

Fazer um diagnóstico racional do conflito, mantendo o equilíbrio e a imparcialidade, são etapas iniciais importantes.  

2. Escute todos os lados

Um bom mediador é aquele que escuta todas as versões antes de chegar à sua própria conclusão.

Essa etapa, chamada de “escuta ativa” por muitos especialistas em mediação de conflitos, é onde se observa tudo o que os lados envolvidos estão dizendo, tanto através da linguagem verbal como também (e em grande parte) através da linguagem não-verbal.

Ao escutar todos os lados, especialmente no ambiente corporativo, cria-se um caminho para que o problema seja resolvido em conjunto, o que pode, até mesmo, fortalecer os vínculos entre a equipe.

3. Exerça o papel de mediador traçando estratégias

Ser um mediador é, ao mesmo tempo, ser um líder. E o que se espera de um líder é, justamente, a solução para o conflito.

Sendo assim, depois de reconhecer que há, de fato, um conflito e após ouvir todos os lados possíveis, é papel do mediador começar a traçar estratégias para driblar quaisquer problemas que estejam relacionados aos conflitos internos.

Para traçar estratégias realmente eficazes, pense em soluções que minimizem o impacto dos conflitos para a equipe, tanto a longo quanto a curto prazo.

4. Invista na comunicação interna

Como eu disse no começo deste artigo, a comunicação está intimamente ligada à mediação de conflitos. Mas não para por aí: para prevenir crises (e a chegada de novos conflitos no futuro), investir na comunicação interna é imprescindível.

Especialmente em equipes com profissionais de muitas áreas, promover o diálogo interno é o caminho para que todos estejam atuando segundo os objetivos profissionais – e não guiados por interesses individuais, como falaremos a seguir.  

Mesmo que cada profissional venha de uma determinada área e tenha um know how específico, implementar estratégias que possibilitem a comunicação entre eles é essencial para a concretização dos projetos e para o bom funcionamento do grupo de trabalho.

Uma comunicação assertiva é uma das melhores alternativas para impulsionar a convivência, fator essencial para gerenciar crises – tanto no trabalho quanto na vida pessoal.

Sendo assim, um treinamento in company pode ser opção viável e importante para a solução de problemas internos. Pense nisso!

5. Esclareça e priorize os objetivos da equipe

Durante a mediação de um conflito dentro do universo corporativo, é muito importante conseguir esclarecer os objetivos da equipe e explicitar, quantas vezes forem necessárias, que tais objetivos estão acima de quaisquer questões individuais.

Em outras palavras, quem faz a mediação de um conflito precisa colocar os interesses da equipe em primeiro lugar. Dessa forma, com todos trabalhando em prol de metas comuns, será mais fácil dialogar e vencer o que esteja no caminho.

Fornecer feedbacks com qualidade é uma forma de mediar possíveis conflitos e, ao mesmo tempo, prevenir que eles se tornem confrontos pessoais.

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

 

The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade