0

Como evitar “brancos” e manter o fluxo de pensamento durante suas apresentações em público?

Você já teve algum “branco” durante uma apresentação em público, reunião importante, apresentação de trabalho ou entrevista de emprego?

11 mar 2019
07h00
  • separator
  • comentários

Você já teve algum “branco” durante uma apresentação em público, reunião importante, apresentação de trabalho ou entrevista de emprego?

Se sim, sabe o quanto esse problema atrapalha a nossa performance, aumenta o nervosismo e até mesmo prejudica a nossa imagem pessoal em relação aos demais, não é mesmo? Por isso, esse é um dos maiores medos dos comunicadores.

Existem técnicas que ajudam a manter o fluxo de pensamento, evitando, assim, os temidos lapsos de memória? Como aplicar essas técnicas em minhas exposições orais? É o que falaremos hoje. Confira!

Foto: Shutterstock

O que é o fluxo de pensamento?

Você já foi a uma apresentação que acabou sendo difícil de entender, já que as ideias do comunicador simplesmente não se relacionavam entre si? Exposições orais desse tipo não criam um nexo entre um tópico e outro e, por essa razão, o conteúdo apresentado parece difuso e difícil de ser assimilado.

Quando isso é assim, há um problema evidente: o fluxo de pensamento não acontece e, em alguns casos, é difícil identificar até mesmo qual é o tema central que o comunicador aborda. Com isso, é muito provável que o público deixe de prestar atenção no que está sendo dito ou, mesmo que mantenha o foco, não se sinta inspirado após o término da exposição oral.

O fluxo de pensamento se define, então, como a capacidade de interligar os vários tópicos de uma apresentação, com ideias e argumentos que se relacionam e se complementam. Quando o fluxo de pensamento está bem desenvolvido, cada item abordado tem uma relevância e, em conjunto, formam uma apresentação assertiva, interessante e fácil de ser compreendida.

O fluxo de pensamento é o que torna possível o progresso da apresentação. Em outras palavras, desde a introdução até a conclusão, o que se vê é a evolução do tema abordado.

Como o fluxo de pensamento ajuda a evitar os brancos de memória?

É muito mais difícil lembrar ideias soltas do que aquelas que estão relacionadas umas com as outras, não é verdade? Por essa razão, quando a apresentação é planejada, criando um fluxo de pensamento, é mais difícil que aconteçam os temidos brancos de memória. Ou, se eles acontecerem, é muito mais fácil superá-los, já que os tópicos estão interligados uns aos outros.

Quando há uma progressão de ideias, previamente planejada pelo comunicador, é mais fácil lembrar do que queremos falar (e como queremos falar). Se você já ouviu a expressão “uma coisa leva à outra”, entende exatamente o que é o fluxo de pensamento. Uma ideia leva à outra, um tópico leva a outro, todos juntos levam à conclusão da apresentação.

Técnicas para manter o fluxo de pensamento

O fluxo de pensamento, assim como outras habilidades ligadas à oratória, pode ser aprimorado. Para isso, algumas técnicas são altamente eficazes, por exemplo:

- Criar um roteiro para a apresentação

Não subestime a importância das etapas prévias a uma apresentação em público. Muitas pessoas pensam que o sucesso de uma apresentação depende apenas do que se faz no palco – mas isso não é assim. O planejamento é essencial.

Nesse planejamento, a criação de um roteiro escrito para a sua apresentação é uma das formas de manter o fluxo do pensamento e, assim, evitar brancos. Para o roteiro, pense no que você quer abordar na sua fala e, mais que isso, em como irá falar tudo o que deseja.

Dividir a sua apresentação em introdução, desenvolvimento e conclusão é uma forma de relacionar tópicos e dar mais coerência à sua fala.

- Praticar

O roteiro para a apresentação é muito importante, mas ele só cumprirá o seu papel em totalidade se você praticar a sua fala com antecedência.

Sendo assim, quando já estiver com o roteiro em mãos, dedique um tempo para praticar a sua apresentação em voz alta. Se possível, faça isso para amigos ou mesmo grave a si mesmo para assistir depois, identificando erros e, sobretudo, se familiarizando com a sua fala.

Quando praticamos a nossa apresentação, damos menos brecha para os lapsos de memória, já que, no grande dia, já estaremos familiarizados com o tema, criando o fluxo de pensamento do qual falamos neste artigo.

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

The Speaker
  • separator
  • comentários
publicidade