0

Vendas de soja desaceleram em MT mas seguem acima da média; colheita tem atraso

18 jan 2021
19h51
atualizado às 20h51
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A comercialização da safra de soja 2020/21 em Mato Grosso avançou 2 pontos percentuais até o fim de dezembro, a um ritmo mais lento do que o visto em meses anteriores, mas atingiu 68,54% da produção esperada e segue acima da média histórica de 50,9% para o período, informou o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) nesta segunda-feira.

Colheita de soja em Primavera do Leste (MT) 
07/02/2013
REUTERS/Paulo Whitaker
Colheita de soja em Primavera do Leste (MT) 07/02/2013 REUTERS/Paulo Whitaker
Foto: Reuters

Para a próxima, cuja oleaginosa será plantada somente em meados de setembro, as vendas avançaram 3 pontos percentuais na variação mensal, para 15,95% da produção estimada. A média de comercialização dos últimos cinco anos nesta época é de 0,96%.

Com câmbio favorável, preços em alta e demanda firme, produtores do maior Estado fornecedor de soja do Brasil anteciparam as vendas em relação a anos anteriores. No entanto, incertezas relacionados aos efeitos do clima sobre as lavouras de 2020/21 ligaram um alerta no setor.

"Os produtores ainda estão apreensivos quanto ao desfecho da safra, pois, apesar de as chuvas terem melhorado de dezembro para cá, a maior parte das lavouras se encontra em enchimento de grão, ou seja, sensível às variações climáticas", disse o Imea em boletim à parte, também divulgado nesta segunda-feira.

No milho, a comercialização da safra 2020/21 chegou a 66,83% até o fim de dezembro, ante 62,69% no mês anterior. A média histórica para o período é de 45,5%, segundo o instituto.

Para 2021/22, as vendas antecipadas atingiram 9% da produção estimada, em relação a 6,65% no mês anterior. Historicamente, a comercialização do cereal para a safra seguinte começava somente em fevereiro.

"Vale salientar que, mesmo com os bons preços, as muitas incertezas sobre condições climáticas para safras futuras fazem com que o produtor haja com maior cautela", afirmou o Imea sobre o milho.

No algodão, as vendas da safra corrente chegaram a 54,42% em Mato Grosso, ante 51,83% no mês anterior e média histórica de 59,12%. Na temporada 2019/20, houve um cenário atípico em que a comercialização foi acelerada e, neste período, estava em 72,64%.

O Imea também reportou os primeiros registros de vendas de algodão para a safra que vem, com 4,48% da produção já negociada. Na média histórica, este número é de 5,18%, mas no ciclo anterior (2020/21), as vendas haviam começado mais cedo e estavam em 16,6%.

COLHEITA

O instituto disse em boletim que a projeção de atraso na colheita de soja 2020/21 está sendo confirmada, já que até a última sexta-feira apenas 0,80% das áreas do Estado estavam com os trabalhos realizados --3,80 pontos percentuais abaixo da média dos últimos cinco anos e 5,07 pontos inferior a 2019/20.

"Apesar de a colheita ter iniciado, a cultura está predominantemente em estágio reprodutivo no Estado, necessitando de condições climáticas adequadas para gerar boas produtividades", afirmou o Imea.

Isso significa que as chuvas ainda precisam ocorrer em Mato Grosso nas próximas semanas com volume e frequência adequados para o bom fechamento do ciclo da cultura, alertaram os técnicos no documento.

Com a retirada da soja das primeiras lavouras, avança também o plantio de algodão no Estado. Segundo dados do Imea, a semeadura da pluma atingiu 9,27% da área até sexta-feira, patamar bem abaixo da safra passada (28,09%) e da média histórica para o período (29,84%).

Veja também:

Mulher é presa com 11 quilos de maconha na rodoviária de Cascavel
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade