0

Top Picks: Yduqs e Cogna dividem preferência de analistas no setor de educação

Analistas avaliam que empresas estão bem posicionadas para aproveitar a eventual retomada da atividade econômica

26 out 2019
04h11
  • separator
  • 0
  • comentários

Os analistas acreditam que as empresas do setor de educação listadas na B3, especialmente Yduqs (ex-Estácio) e Cogna (ex-Kroton), estão bem posicionadas para aproveitar a eventual retomada da atividade econômica. E as preferências estão divididas, já que a percepção sobre a Cogna é de maior potencial de longo prazo, enquanto que os movimentos recentes da Yduqs, como a compra da Adtalem, são elogiadas pelos profissionais.

A equipe de análise da MyCap apontava a Cogna como sua preferida no setor, por conta da reestruturação promovida pela companhia, com maiores impactos no médio e longo prazos. No entanto, se a aquisição da Adtalem for aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Yduqs ganha uma maior visibilidade, com previsibilidade de fluxos de caixa já para 2020.

No que diz respeito aos resultados do terceiro trimestre, a MyCap acredita que o setor vai refletir a melhora na captação de novos alunos, tanto no ensino à distância (EAD) quanto nos cursos presenciais, mas ainda há dúvidas quanto às receitas, por conta o menor tíquete médio.

Quem aponta a Cogna como preferida é a Guide Investimentos. Segundo o analista Luis Sales, a empresa apresenta bom potencial para 2020, mesmo com a expectativa de que apresente números decepcionantes neste segundo semestre de 2019. Sales espera que a empresa se beneficie da queda do desemprego, o que ajuda a captação de alunos e diminui a evasão. "Além disso, o setor de educação básica apresenta grandes oportunidades de crescimento e consolidação no Brasil, e acreditamos que a Cogna está melhor posicionada para capturar esse avanço nos próximos anos".

No curto prazo, a situação é melhor para Yduqs e Ser Educacional nesta segunda metade do ano, por conta dos números considerados expressivos na captação de alunos, de acordo com as prévias operacionais. Já para a Cogna, o cenário é diferente, como redução na base de alunos.

A preferida da Santander no segmento é a Yduqs. Segundo Ricardo Peretti, estrategista de Pessoa Física da Santander Corretora, a mudança recente do nome já indicava que novas marcas entrariam no portfólio, na busca por regiões e públicos complementares à atuação da própria Estácio.

"A compra das operações da Adtalem Brasil reforça essa visão, dado que o grupo é percebido por atuar num segmento de maior qualidade. Além de sinergias de custos, a administração da companhia vê espaço para vendas cruzadas e maior eficiência tributária, o que nos fez olhar com bons olhos a aquisição", explica Peretti.

A Mirae Asset também tem a Yduqs como preferida. Para o analista Pedro Galdi, o setor de educação ainda está em processo de consolidação, e novas fusões e aquisições ainda devem acontecer. "A competição entre os grandes centros educacionais está influenciando de forma representativa o valor dos cursos para os alunos, o que obriga as grandes redes a reduzir custos e buscar ganhos de escala", explica Galdi.

No que diz respeito às recomendações para a próxima semana, a Mirae renovou toda a sua carteira, agora composta por Bradesco PN, CCR ON, Magazine Luiza ON, GPA PN e Rumo ON.

A MyCap também trocou quase todo o portfólio mantendo somente Banco do Brasil ON em relação à carteira da semana passada. Estão entre recomendações Hapvida ON, Rumo ON, Magazine Luiza ON e JBS ON. Por fim, a Guide fez duas mudanças, com as saídas de Cyrela ON e Duratex ON, dando lugar para CCR ON e Petrobras PN.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade