PUBLICIDADE

Top Picks: Inclusão do Inter no Ibovespa mostra potencial de bancos digitais, dizem analistas

Neste segmento, estão inclusos, além do Inter, Banco Pan e BMG, estes dois com histórico de atuação no modelo mais tradicional, mas que mudaram de estratégia e hoje são bancos digitais

16 abr 2021
0comentários
Publicidade

Os bancos com atuação mais forte no ambiente digital, fora do modelo tradicional de agências, têm apresentado crescimentos expressivos nos últimos trimestres. E a entrada da Unit do Banco Inter no Ibovespa, de acordo com a segunda prévia da carteira teórica que valerá a partir de maio, é um reflexo desse desempenho, segundo analistas.

Neste segmento, estão inclusos, além do Inter, Banco Pan e BMG, estes dois com histórico de atuação no modelo mais tradicional, mas que mudaram de estratégia e hoje são bancos digitais. Nesta semana, o BTG Pactual anunciou a aquisição da participação da Caixa Econômica Federal no Pan, movimento que, segundo analistas, vai impulsionar ainda mais os resultados do banco, que já vêm de melhoras consistentes.

O Banco Inter está entre as ações recomendadas pela Mirae Asset. Segundo a equipe da corretora, as prévias operacionais do primeiro trimestre de 2021 confirmam as expectativas de mais um ano de forte crescimento, especialmente na base de clientes. O Inter superou a marca de 10 milhões de correntistas, com crescimento superior a 100% em 12 meses. A originação de crédito cresceu 173% na comparação anual.

"Entendemos que ainda há uma grande demanda reprimida, com novos serviços e produtos financeiros a serem explorados, com tendência de crescimento e constante mutação", afirma Julia Monteiro, analista da MyCap. Ela afirma que a expansão deve acontecer não somente na base de clientes, mas também nas margens, gradualmente.

A analista da MyCap lembra ainda que a melhora dos serviços de internet, especialmente em cidades médias e pequenas, deve ajudar a impulsionar ainda mais o mercado para os bancos digitais. "Há ainda um vasto campo a ser explorado", afirma Monteiro.

Fernando Habda, estrategista de Pessoa Física da Santander Corretora, concorda que o ritmo de crescimento dos bancos puramente digitais impressiona. Mas mostra maior ceticismo em relação à continuidade deste cenário. "Tecnologia, legislação e confiança permitiram o forte crescimento dos bancos digitais. Isto vai continuar? Do mesmo modo que árvores não chegam ao céu, o crescimento irá diminuir, mas ainda estamos em uma fase de avanço forte", afirma.

Habda ressalta ainda que o segmento de bancos digitais precisa de aportes financeiros muito altos. "Em algum momento, as fintechs e os bancos digitais terão que achar a 'mina de ouro' para um crescimento sustentável".

Em relação às recomendações para a próxima semana, a XP trocou praticamente toda a sua carteira, mantendo somente Klabin Unit, que agora está acompanhada de Itaúsa PN, Randon PN, Rumo ON e Weg ON.

A Ativa Investimentos fez três trocas, retirando BRF ON, Hidrovias do Brasil ON e PetroRio ON para as entradas de CVC ON, Petz ON e Priner ON.

O Daycoval também trocou três ativos em sua lista, retirando Gerdau PN, Itaú Unibanco PN e São Martinho ON, e inserindo Banco do Brasil ON, Eneva ON e Sanepar Unit.

Outra que fez três alterações foi a MyCap, com as saídas de BRMalls ON, Even ON e PetroRio ON, e a seleção de Bradesco ON, Eternit ON e Movida ON para a próxima semana.

A Órama Investimentos trocou CSN ON e Marfrig ON por Metalúrgica Gerdau PN e PetroRio ON. A Guide trocou Gol PN por Totvs ON. E a Mirae também fez somente uma alteração, retirando Randon PN para a entrada de Vale ON.

Estadão
Publicidade
Publicidade