2 eventos ao vivo

Startups garantem fatia do mercado da mobilidade

País tem pelo menos 193 empresas inovadoras que atuam em serviços automotivos

9 ago 2019
06h11
atualizado às 08h11
  • separator
  • 0
  • comentários

Na era de mudanças profundas na mobilidade urbana, ganham força no Brasil as startups com soluções para o mundo automotivo. Elas oferecem tecnologias disruptivas para variados serviços que passam pelo compartilhamento de carros, facilidades na compra e venda de usados e de autopeças, desburocratização na locação, ajuda para encontrar vagas em garagens e local para caminhoneiros pernoitarem, novas formas de contrato de seguro, consórcio e até reciclagem de carros.

Estudo feito pela Liga Ventures, aceleradora especializada em gerar negócios entre startups e grandes empresas, mostra que no início de 2018 havia no País 193 autotechs, nome dado às empresas novatas que atuam em serviços ligados ao setor automobilístico. Hoje deve existir mais, mas ainda não há novo levantamento.

O sócio-diretor da Liga, Rogério Tamassia, diz que, na época do estudo, no fim de 2017, foi analisado um banco de dados com mais de 5 mil startups de todos os segmentos, número agora projetado em 13 mil. No caso das autotechs, diz ele, "a nova cultura de mobilidade vai mudar tudo, inclusive a forma de produzir o veículo, o design, a autonomia e a durabilidade".

Responsável pela área automotiva da consultoria KPMG, Ricardo Bacellar diz que o "negócio da mobilidade é um jogo novo, um tabuleiro vazio e todo mundo está querendo se posicionar, principalmente as outsiders" - empresas de fora dos muros das montadoras, mas inseridas no universo tecnológico.

Em pesquisa feita pela KPMG e a editora Autodata com mil consumidores de todo o País, ao serem questionados sobre como prefeririam utilizar um serviço de mobilidade, 56,67% optaram pelas empresas de tecnologia, 25,8% por operadoras tradicionais e 17,53% pelas montadoras.

Com a crescente demanda por serviços de mobilidade, há espaço para ofertas de produtos inovadores, de baixo custo e que preencham lacunas e nichos que o mercado ainda não dispunha. "Se não assistimos televisão como antigamente, não usamos banco como antigamente, não nos deslocamos pela cidade como antigamente, precisamos também questionar outras relações de negócios ainda engessadas", ressalta Ricardo Bernardes, presidente da Onsurance. A startup oferece seguro por minuto de uso do carro.

Michele D'ippolito percebeu que muitas garagens ficam ociosas no período em que o proprietário está trabalhando fora de casa ou em fins de semana, quando viaja. "Há um ativo enorme à disposição", diz o criador da Unpark, que conecta quem precisa estacionar à vagas com melhor custo-benefício. Confira abaixo dez autotechs:

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade