3 eventos ao vivo

Setor de tecnologia impulsiona Wall St após aumento de esperanças de acordo comercial

9 out 2019
12h07
atualizado às 13h07
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma alta nas ações de tecnologia impulsionava Wall Street nesta quarta-feira, com os investidores comemorando reportagens que sinalizam uma melhora nas tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China antes das negociações de alto nível, que começam na quinta-feira.

Operadores na Bolsa de Valores de Nova York 
09/10/2019
REUTERS/Brendan McDermid
Operadores na Bolsa de Valores de Nova York 09/10/2019 REUTERS/Brendan McDermid
Foto: Reuters

Às 11:59 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,55%, a 26.307 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 0,771847%, a 2.915 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançava 0,89%, a 7.893 pontos.

Os ganhos foram liderados pela Microsoft e Apple, que avançavam 1%. O setor de tecnologia operava em alta de 1,24%.

A China ainda está aberta a um acordo comercial parcial com os Estados Unidos, apesar da inclusão das principais startups chinesas de inteligência artificial em uma lista de sanções comerciais dos EUA, de acordo com notícia da Bloomberg desta quarta-feira.

Separadamente, o Financial Times afirmou que Pequim está oferecendo aumentar suas compras anuais de produtos agrícolas dos Estados Unidos.

"Há expectativas de que algum tipo de acordo provisório surja dessas reuniões", disse Peter Cardillo, economista-chefe de mercado da Spartan Capital Securities. "Os investidores certamente parecem mais esperançosos agora do que dois dias atrás."

A escalada nas tensões comerciais, a intensificação dos esforços de um impeachment contra o presidente norte-americano Donald Trump e os sinais de desaceleração do crescimento econômico abalaram os mercados acionários em outubro, com os índices S&P 500 e Dow Jones recuando mais de 2% desde o final de setembro.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade