PUBLICIDADE

Rabobank: área de soja em 2021/22 deve ser recorde de 40 milhões de hectares

16 set 2021 18h31
ver comentários
Publicidade

São Paulo, 16/09 - As margens de lucro positivas esperadas para produtores de soja brasileiros na safra 2021/22, apesar do aumento dos custos de produção, levam o Rabobank a projetar uma área plantada de 40 milhões de hectares, novo recorde. "Assumindo a linha de tendência para a produtividade, a estimativa é de que a safra brasileira alcance 142 milhões de toneladas durante a temporada 2021/22", disse o banco em relatório.

O Rabobank pontuou que a queda das exportações brasileiras no acumulado do ano - 72,7 milhões de toneladas de janeiro a agosto, citando dados da Secex, 2 milhões de t a menos que em igual período de 2020 - e a manutenção do esmagamento indicam recomposição dos estoques de soja ao final de dezembro 2021, se comparado às três últimas safras. "A redução da safra brasileira de milho em mais de 20 milhões de toneladas pode trazer impacto positivo para as exportações de soja no último trimestre de 2021, quando os portos devem estar ociosos", destacou o banco no documento.

Com relação ao milho, o Rabobank prevê preços sustentados, até o fim do ano, por diversos fatores. No mercado local, o banco considera que o aumento das importações não será suficiente para reduzir a pressão sobre os baixos estoques de passagem. "Considerando as atuais perspectivas para exportações, produção e consumo local, o Rabobank projeta os estoques de passagem (brasileiros) da safra 2020/21 entre 9 milhões e 11 milhões de toneladas, volume similar ao ciclo anterior", disse o banco, referindo-se a uma produção total de milho de 86,4 milhões de t (21 milhões de t abaixo da estimativa inicial) e volume exportado cerca de 50% menor do que em 2019/20.

A perspectiva de baixos estoques até dezembro, além da produção menor e a comercialização mais lenta do milho de 2020/21 no spot devem "oferecer suporte aos preços de milho no mercado local", disse o Rabobank.

No cenário internacional, os apertados estoques globais e norte-americanos de milho "continuarão a dar suporte para as cotações (do cereal) na CBOT", aponta o banco. O Rabobank ponderou que apesar do aumento da estimativa de safra de milho dos Estados Unidos em mais de 6 milhões de toneladas, conforme o último relatório mensal do Departamento de Agricultura do país (USDA), os estoques globais para a temporada 2021/22 são os menores desde 2016. Além disso, os estoques norte-americanos, de acordo com o USDA, também são os mais baixos desde 2015.

Estadão
Publicidade
Publicidade