5 eventos ao vivo

Presidente da Turquia solicita entrada de seu país nos Brics

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que nome do grupo passaria a ser BRICST

30 jul 2018
10h02
  • separator
  • 0
  • comentários

LONDRES- O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, quer acrescentar um "T" ao acrônimo Brics, para Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A solicitação foi conhecida nesta domingo, 29, quando o jornal local Hurriyet Daily News publicou a declaração de Erdogan, na volta de sua participação na 10ª Cúpula dos Brics realizada em Johannesburgo, na África do Sul de quarta a sexta-feira da semana passada.

O pedido de adesão, conforme o presidente turco, foi feito durante o evento a seus membros. Ele não informou, no entanto, quem foram exatamente seus interlocutores. "Estamos no G-20 (grupo dos 20 países mais ricos do mundo) com cinco desses países. Eu gostaria que eles tomassem as medidas necessárias para nos deixar entrar e pudéssemos tomar nosso lugar nos BRICS", disse ao jornal. "Se vocês nos incluírem, o nome do grupo ficaria BRICST", acrescentou.

Os relatos de Erdogan à publicação local foram de que a sugestão foi "calorosamente recebida" pelos Estados-membros, especialmente pela China. Muitas outras nações já pediram a inclusão ao grupo, o que é um tema de muitas discussões e posições diferentes entre seus membros. A própria África do Sul, que sediou o mais recente evento de cúpula, é a "irmã mais nova", tendo aderido aos BRICS em 2010, quatro anos após a sua formação original.

A Turquia, assim como a Jamaica e a Argentina, foi convidada para reunião anual do grupo de economias emergentes como participante "Brics Plus", países convidados pelo anfitrião do ano. O presidente turco foi acompanhado dos ministros das Relações Exteriores, das Finanças e do Tesouro, da Defesa, do Comércio e do Partido da Justiça e Desenvolvimento de seu país. Além dessas três nações, a África do Sul também contou com a presença de outros 22 países do continente como convidados especiais do evento.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade