0

Preços do petróleo caem 6% após ministro saudita apontar para recuperação da produção

17 set 2019
17h25
  • separator
  • 0
  • comentários

Os preços do petróleo caíram cerca de 6% nesta terça-feira, depois de o ministro de Energia da Arábia Saudita afirmar que o reino restabeleceu boa parte de sua produção petrolífera afetada por um ataque ocorrido no final de semana, que havia interrompido 5% da produção global da commodity.

Imagem de satélite mostra um aparente ataque de drone a instalação de petróleo da Aramco em Harad. 
Planet Labs Inc/via REUTERS
14/09/2019
Imagem de satélite mostra um aparente ataque de drone a instalação de petróleo da Aramco em Harad. Planet Labs Inc/via REUTERS 14/09/2019
Foto: Reuters

Os ataques de sábado elevaram os temores quanto a um grande choque de oferta em um mercado que esteve, nos últimos meses, preocupado com a demanda e com o lento crescimento global. O petróleo chegou a subir até 20% na segunda-feira.

Durante uma entrevista coletiva nesta terça-feira, o ministro de Energia saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman, também disse que manterá toda a oferta de petróleo a seus clientes neste mês. Ele acrescentou que a produção petrolífera do país em outubro será de 9,89 milhões de barris por dia.

Os contratos futuros do petróleo Brent despencaram 4,47 dólares, ou 6,5%, e fecharam a 64,55 dólares por barril. Os futuros do petróleo dos Estados Unidos recuaram 3,56 dólares, ou 5,7%, para 59,34 dólares o barril.

O Brent chegou a cair mais de 7% ao longo da coletiva de imprensa.

"As notícias mais recentes significam que nós não teremos de nos apressar para revisar nossa estimativa de preço, de 60 dólares por barril ao final de 2019. Dito isso, ainda há algumas questões importantes a serem respondidas sobre os ataques, o que pode significar que teremos de considerar um prêmio por riscos permanentemente elevado em nossas projeções", disse Caroline Bain, economista-chefe de commodities da Capital Economics, em uma nota.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade