PUBLICIDADE

Preços do petróleo atingem máximas de 2 anos com expectativa de maior demanda

10 jun 2021 17h23
ver comentários
Publicidade

Os preços do petróleo atingiram uma máxima em mais de dois anos em dia de negócios voláteis nesta quinta-feira, com otimismo para forte demanda após os novos registros de pedidos de seguro desemprego nos Estados Unidos caírem para a mínima desde a primeira onda da Covid-19 no ano passado.

Refinaria de petróleo Shell's Pulau Bukom, na Cingapura.
30/01/2016
REUTERS/Edgar Su
Refinaria de petróleo Shell's Pulau Bukom, na Cingapura. 30/01/2016 REUTERS/Edgar Su
Foto: Reuters

O mercado oscilou após relatórios da mídia sugerindo que os Estados Unidos levantaram sanções a autoridades de petróleo do Irã.

O Tesouro dos EUA afirmou mais tarde que havia removido as sanções de três ex-oficiais iranianos e duas empresas envolvidas anteriormente com negociações de produtos petroquímicos.

Um representante dos EUA afirmou à Reuters que a atividade era "rotineira" e não relacionada à conversa com o Irã sobre trazer de volta o acordo de 2015 para restringir o desenvolvimento de armas nucleares.

Os futuros do Brent fecharam com alta de 0,30 dólar, ou 0,4%, a 72,52 dólares o barril. Enquanto o petróleo dos EUA (WTI) subiu 0,33 dólar, ou 0,5%, para encerrar em 70,29 dólares.

Esses preços foram as máximas de fechamento do Brent desde maio de 2019, e para o WTI, desde outubro de 2018.

"O desemprego recente e os dados de emprego publicados (nos Estados Unidos) são definitivamente um sinal positivo de que a recuperação no país está acelerando", afirmou Louise Dickson, analista da Rystad Energy.

A Organização de Países Exportadores de Petróleo afirmou que a demanda de petróleo iria aumentar em 6,6%, ou 5,95 milhões de barris por dia (bpd), neste ano. A previsão mensal permaneceu sem mudanças pelo segundo mês consecutivo.

Analistas afirmaram que o Irã pode oferecer entre cerca de 1 milhão e 2 milhões de barris por dia (bpd), se um acordo for feito e as sanções suspensas.

(Julia Payne e Jessica Jaganathan)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade