3 eventos ao vivo

Preços ao produtor na China desaceleram em maio devido a fraqueza da indústria

12 jun 2019
07h33
atualizado às 10h09
  • separator
  • 0
  • comentários

A inflação ao produtor da China desacelerou em maio uma vez que a fraqueza da indústria afetou a demanda, reforçando preocupações sobre o crescimento na segunda maior economia do mundo, enquanto uma alta dos preços dos alimentos pode ampliar as reclamações do consumidor sobre o custo de vida.

12/08/2015
REUTERS/Jason Lee
12/08/2015 REUTERS/Jason Lee
Foto: Reuters

A desaceleração foi provocada por quedas nos preços de commodities industriais e ficou em linha com a atividade industrial fraca vista em maio. Também acontece em meio à piora da disputa comercial com os Estados Unidos.

O índice de preços ao produtor da China subiu em maio 0,6% na comparação com o ano anterior, disse nesta quarta-feira a Agência Nacional de Estatísticas, em linha com as expectativas de analistas e abaixo da leitura de 0,9% em abril.

Em contraste, a inflação ao consumidor acelerou devido ao aumento dos preços de alimentos, que subiram no ritmo mais rápido em sete anos depois que o clima ruim afetou a produção de frutas e a febre suína africana prejudicou a oferta de carne de porco.

O índice de preços ao consumidor avançou em maio 2,7% na comparação com o ano anterior, em linha com as expectativas e no ritmo mais rápido desde fevereiro de 2018.

O índice de preços de alimentos saltou 7,7% sobre o ano anterior, ritmo mais rápido desde janeiro de 2020 e acima da leitura de 6,1% de abril.

Os preços de frutas frescas subiram 26,7% e rondam máximas históricas depois que o clima ruim afetou importantes regiões produtoras, enquanto a intensificação da guerra comercial entre China e EUA dificultou alternativas para suprir essa demanda.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade