3 eventos ao vivo

Petróleo fecha em baixa, de olho em quadro geopolítico notícias do setor

10 set 2019
16h33
  • separator
  • 0
  • comentários

Os contratos futuros de petróleo fecharam em território negativo nesta terça-feira, 10. A commodity chegou a subir mais cedo, mas perdeu força, com foco em novidades no quadro geopolítico e expectativa por atualizações sobre o quadro para a oferta e a demanda no setor.

O petróleo WTI para outubro fechou em queda de 0,78%, a US$ 57,40 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para novembro caiu 0,34%, a US$ 62,38 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

Pela manhã, o petróleo registrava altas, ainda na esteira das declarações do novo ministro de Energia da Arábia Saudita, o príncipe Abdulaziz bin Salman, que no dia anterior se comprometeu a manter a atual política da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de cortes na produção.

Além disso, havia expectativa pela divulgação do relatório semanal de estoques de petróleo nos Estados Unidos do American Petroleum Institute (API), uma prévia do dado oficial. Os números, porém, saem apenas no fim da tarde, depois do fechamento desta terça.

Por volta do meio-dia, os contratos passaram a subir mais, após a notícia de que haveria uma entrevista coletiva concedida pelo secretário de Tesouro americano, Steven Mnuchin, o secretário de Estado, Mike Pompeo, e o conselheiro de Segurança Nacional do país, John Bolton. A perspectiva de eventuais novas sanções ao Irã contribuiu para o movimento.

O presidente dos EUA, Donald Trump, porém, anunciou pouco depois a demissão de Bolton e, após a novidade, o petróleo ficou sem direção única.

Bolton era visto como um falcão dentro do governo americano, defensor de uma postura dura no Oriente Médio, inclusive com o Irã. Sua saída, em tese, poderia facilitar o diálogo com Teerã, abrindo espaço para um acordo que poderia significar mais petróleo iraniano nos mercados internacionais.

Na entrevista coletiva que ocorreu apenas com Pompeo e Mnuchin, porém, o secretário do Tesouro afirmou que a demissão do agora ex-funcionário não significa uma mudança na política externa.

"Estamos completamente alinhados na campanha de pressão máxima sobre o Irã", afirmou Mnuchin, que também anunciou sanções contra novos supostos envolvidos com terrorismo no Oriente Médio, inclusive ligados à Força Quds, do Irã.

Em meio às sinalizações do governo americano, o petróleo voltou a se firmar em território negativo, sem perspectiva de reaproximação em breve entre EUA e Irã.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade