PUBLICIDADE

Petróleo fecha em alta de 1% e é negociado nos maiores valores desde 2014

18 jan 2022 18h59
ver comentários
Publicidade

O petróleo fechou em alta de mais de 1% nesta sessão, sendo negociado nos maiores valores desde 2014. O mercado reagiu à divulgação de relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aos possíveis problemas na oferta do óleo devido a conflitos geopolíticos e ao clima frio no hemisfério norte.

O petróleo Brent para março subiu 1,19% (US$ 1,03), a US$ 87,51 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE). Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI com entrega prevista para o mesmo mês subiu 1,83% (US$ 1,53), a US$ 84,83 o barril.

De acordo com Edward Moya, da Oanda, se as tensões geopolíticas continuarem a esquentar, o petróleo Brent pode não precisar de muito esforço para chegar a US$ 100 o barril. "Parece que um punhado de países e regiões, como Emirados Árabes Unidos, Líbia, Casaquistão, Canadá e Dakota do Norte podem ter uma interrupção na produção de petróleo a qualquer momento devido a tensões geopolíticas ou devido ao clima frio", disse em relatório enviado a clientes.

Rebeldes houthis do Iêmen lançarem um ataque com drone aos Emirados Árabes Unidos, gerando represália. "É provável que a corrida nos preços continue à medida que os traders observam a situação, mas do ponto de vista fundamental, o mercado está se antecipando," diz Peter Cardillo da Spartan Capital, que acredita que quaisquer ganhos adicionais de preço podem levar a Opep a mudar de rumo no próximo mês.

Para Rystad Energy, os danos às instalações petrolíferas dos Emirados Árabes Unidos não são significativos em si, mas levantam a questão de ainda mais interrupções no fornecimento na região em 2022. "O ataque aumenta o risco geopolítico na região e pode sinalizar que o acordo nuclear Irã-Estados Unidos está fora da mesa no futuro próximo, o que significa que os barris de petróleo iranianos estão fora do mercado", afirma.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) manteve sua previsão para o aumento da oferta de petróleo entre países fora do grupo em 2022, em 3 milhões de barris por dia (bpd). Com relação à demanda, a Opep segue prevendo que a demanda global por petróleo avançará 4,2 milhões de barris por dia (bpd) em 2022, para um total de 100,8 milhões de bpd.

Segundo a Capital Economics, houve pouca reação do mercado ao relatório da Opep, porque a organização não mudou suas principais previsões. "Em vez disso, o mercado estava se concentrando em eventos geopolíticos".

*Com informações da Dow Jones Newswires

Estadão
Publicidade
Publicidade