0

Petrobras reduzirá em 1,51% preço da gasolina na refinaria, 1ª corte desde novembro

13 dez 2018
14h04
atualizado às 15h43
  • separator
  • comentários

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina vendida em suas refinarias em 1,51 por cento a partir de sexta-feira, para 1,5878 real por litro, no primeiro corte realizado pela empresa para o combustível desde 27 de novembro, informou a estatal em seu site nesta quinta-feira.

Sede da Petrobras em São Paulo
20/02/2018
REUTERS/Paulo Whitaker
Sede da Petrobras em São Paulo 20/02/2018 REUTERS/Paulo Whitaker
Foto: Reuters

A redução ocorrerá após o petróleo ter registrado leve baixa no mercado internacional na quarta-feira, ao mesmo tempo em que o dólar caiu 1,74 por cento ante o real.

Nesta quinta-feira, o petróleo tinha leve alta, assim como o dólar subia.

O corte apontado para sexta-feira ocorre após a gasolina da empresa acumular, somente em dezembro, até esta quinta-feira, alta de 7,4 por cento, diante de ganhos no mercado internacional anteriormente, com expectativas de corte de oferta por grandes produtores de petróleo.

A política de preços da Petrobras leva em consideração o câmbio e também os preços do petróleo no mercado internacional, além de outros fatores.

"O anúncio do corte de produção por parte da Opep fez com que o preço subisse na semana passada", disse o consultor Eduardo Oliveira de Melo, da Raion, especializada em combustíveis.

A Petrobras tem reiterado ao longo de 2018 que o preço de sua gasolina corresponde a aproximadamente um terço do valor praticado nas bombas, sobre o qual recaem tributos, a mistura obrigatória de etanol anidro e a estratégia comercial de distribuidoras e revendedoras.

Recentemente, a reguladora ANP pediu explicações ao segmento distribuidor sobre o repasse de preços ao consumidor final, que estava menor do que o reportado pela estatal.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • comentários
publicidade