11 eventos ao vivo

Ouro fecha em queda com otimismo sobre negociações comerciais entre EUA e China

4 nov 2019
16h43
  • separator
  • 0
  • comentários

O ouro fechou em leve queda nesta segunda-feira, 4, com os investidores buscando ativos mais arriscados em meio ao otimismo com as negociações comerciais entre Estados Unidos e China e dados industriais positivos na zona do euro.

O metal para dezembro fechou em baixa de 0,02%, a US$ 1.511,10 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

O apetite por risco no exterior foi apoiado por declarações do secretário de Comércio americano, Wilbur Ross. Em entrevista à Bloomberg no domingo, 3, Ross disse esperar que Estados Unidos e China assinem o acordo comercial de "fase 1" neste mês.

Ele afirmou, também, que os EUA irão conceder "muito em breve" licenças para que companhias americanas vendam componentes à empresa chinesa Huawei e que a imposição de tarifas a carros da União Europeia pode não ser necessária.

Dados da zona do euro também apoiaram o otimismo dos investidores, que trocaram a segurança do metal precioso por ativos mais arriscados, como as ações. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial do bloco subiu de 45,7 em setembro para 45,9 em outubro, segundo pesquisa final divulgada hoje pela IHS Markit. A leitura abaixo de 50, no entanto, indica que o setor manufatureiro do bloco permanece em contração pelo nono mês consecutivo.

Para o analista do Commerzbank, Carsten Fritsch, o ouro tem tido um desempenho "comparativamente bom" em um novo cenário para o sentimento do mercado, "caracterizado pelo crescente apetite por risco". Fritsch pondera, no entanto, que a demanda pelo metal precioso na Ásia continua fraca.

"De acordo com um representante governamental não identificado, as importações de ouro da Índia totalizaram apenas 38 toneladas em outubro, o que representa uma queda de 33% em relação ao ano passado", afirma o analista em relatório do banco a clientes.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade