2 eventos ao vivo

O que você precisa saber hoje para acompanhar o movimento do mercado financeiro

Avanço da reforma da Previdência na Câmara dos deputados e novas projeções para o crescimento do PIB no Brasil concentram atenções

12 jul 2019
09h02
  • separator
  • comentários

O mercado financeiro segue de olho nesta sexta-feira na votação dos destaques da reforma da Previdência e deve repercutir as novas projeções do governo para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2019.

Reforma da Previdência concentra atenções

Depois de texto-base da reforma da Previdência ter sido aprovado em primeiro turno com 379 votos, a Câmara vota os destaques apresentados à proposta.

Na sessão que terminou nesta madrugada, o plenário aprovou três deles: o que altera a regra de cálculo da aposentadoria para as mulheres, o que diminui a idade mínima de homens de 20 para 15 anos e o que suaviza as regras para os policiais federais, civis do Distrito Federal, agentes penitenciários e socioeducativos federais.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou sessão para esta manhã para tentar concluir a análise dos oito destaques que ainda não foram apreciados. Ele pretende os trabalhos nesta sexta, mas admite que pode avançar até o sábado.

Depois dessa fase, o texto voltará à Comissão Especial para nova apreciação formal. Em seguida, deve haver uma votação para a dispensa do intervalo de cinco sessões entre o primeiro e o segundo turno, para em seguida o texto ser analisado novamente em plenário - mais uma vez, são necessários 308 votos para a aprovação da proposta.

Mesmo com as mudanças já feitas, o governo estima ainda uma economia significativa com a reforma, acima de R$ 900 bilhões.

O mercado acompanha com otimismo o avanço da reforma, na expectativa de que na sequência o governo anuncie medidas que podem destravar a economia do País e atraiar investimentos.

Indicadores

Nesta quinta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga os dados de maio sobre o volume de serviços prestados no País. As estimativas dos economistas variam de queda de 0,8% a alta de 0,4% (mediana de -0,30%), de acordo com o Projeções Broadcast. Em abril, o indicador teve alta de 0,30%.

Às 10h30, o governo divulga sua nova previsão oficial para o PIB de 2019, que deve ficar entre 0,8% e 1,2%.

Empresas

Na quinta-feira, BRF e Marfrig encerraram as negociações para uma fusão, 40 dias depois do anúncio das negociações. As companhias informaram que a decisão não afeta outras parcerias entre elas.

A Justiça de São Paulo acolheu pedido de liminar do Itaú Unibanco e permitiu que bancos credores da Odebrecht tomem posse das ações da Braskem.

A Light anunciou nesta manhã o preço por ação de R$ 18,75% na oferta subsequente (follow on). O início de negociação das ações na B3 será na próxima segunda-feira, 15.

Cenário externo

No exterior, após um superávit da balança comercial da China em junho de US$ 50,98 bilhões, bem acima da previsão, as Bolsas asiáticas fecharam em alta em sua maioria e os mercados europeus e em Nova York também mantêm bom humor nesta manhã, ainda repercutindo a sinalização do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, de que poderá ocorrer um corte de juros no fim deste mês.

Na quinta-feira, a perspectiva de corte de juros levou as Bolas de Nova York a novos recordes.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade