1 evento ao vivo

Nova lei de falências deve acelerar recuperação, diz Guedes

Ministro classificou o Congresso como "reformista" e destacou que o Legislativo avança apesar da pandemia

24 nov 2020
13h28
atualizado às 13h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reforçou confiança na recuperação econômica com a votação da nova lei das falências. O projeto deve ser votado na quarta-feira, 25, pelo Senado. De acordo com o chefe da pasta, a medida vai impulsionar a recuperação de empresas atingidas pela crise da covid-19.

Ministro da Economia, Paulo Guedes, participa de cerimônia no Palácio do Planalto
28/08/2020
REUTERS/Adriano Machado
Ministro da Economia, Paulo Guedes, participa de cerimônia no Palácio do Planalto 28/08/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

"Nós vamos ter sucesso em transformar essa recuperação cíclica, que hoje é baseada no consumo, numa retomada do crescimento sustentável com base em investimentos", afirmou Guedes, após uma reunião com o relator do projeto, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

O ministro classificou o Congresso como "reformista" e destacou que o Legislativo avança apesar da pandemia.

Ao lado de Pacheco, do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e do ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, Guedes anunciou um acordo para aprovar o relatório da proposta.

De acordo com Pacheco, é possível aprovar o projeto nesta quarta e enviar o texto para sanção presidencial.

Para evitar o retorno do texto à Câmara, o relator anunciou um acordo para fazer apenas emendas de redação e negociar vetos com o presidente Jair Bolsonaro após a aprovação da medida no Senado, mantendo a essência da proposta.

Um dos dispositivos que podem ser vetados, disse Pacheco, é o que trata do poder "exacerbado" do Fisco nos processos de recuperação judicial.

De acordo com ele, o projeto aprovado na Câmara permite ao Fisco agir para transformar um processo de recuperação judicial em falência se houver inadimplência de uma empresa no parcelamento tributário.

Veja também:

Carro e moto batem em cruzamento de ruas em Toledo
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade