0

Nos três primeiros meses de governo Bolsonaro, Taurus tem lucro de R$ 92 milhões

15 mai 2019
16h16
  • separator
  • 0
  • comentários

Nos três primeiros meses do ano e de governo Bolsonaro, a fabricante brasileira de armas Taurus registrou lucro líquido de R$ 92 milhões, aumento de 15,5% em comparação ao primeiro trimestre de 2018. A receita líquida da empresa no período somou R$ 252,1 milhões, alta de 9,1%.

Durante a campanha presidencial, uma das bandeiras do presidente Jair Bolsonaro era o combate à violência e flexibilização das regras sobre o porte de arma. Desde que tomou posse, o presidente editou dois decretos que facilitam a posse de arma e o porte para algumas profissões.

No último dia 8, quando Bolsonaro assinou o segundo decreto, as ações PN da Taurus estiveram entre as maiores altas da bolsa naquele dia, fechando com valorização de 23,5%, a R$ 4,57 - ontem, encerrou o pregão a R$ 3,72.

O destaque para as vendas da companhia está nas exportações para os Estados Unidos. As vendas totais no país atingiram 303 mil unidades, volume 11,3% superior ao registrado no primeiro trimestre de 2018. A receita com a venda de armas nos EUA totalizou R$ 200,4 milhões no primeiro trimestre do ano, montante 19,4% superior ao verificado no mesmo período do ano anterior.

A venda de novos modelos de pistola foi responsável por 53,6% da receita com vendas de armas no trimestre. "A ótima aceitação no mercado da pistola TX 22, apresentada pela Taurus em janeiro de 2019 na Shot Show - maior feira do setor, realizada em Las Vegas, EUA -, assim como a continuidade do sucesso do revólver Raging Hunter 45, lançado em 2018, e da já consagrada G2c, foram os principais destaques no período", destacou a companhia.

Já no mercado nacional, a receita somou R$ 35,9 milhões no trimestre, alta de 11,5% em relação ao mesmo período de 2018. De acordo com a empresa, no Brasil as vendas são direcionadas para polícias, Forças Armadas, caçadores, atiradores desportistas e colecionadores. As vendas no Brasil totalizaram 25 mil unidades, volume 13,6% superior ao primeiro trimestre de 2018.

Além disso, a companhia destacou a venda realizada para a polícia nacional das Filipinas, o que representou 58,7% das exportações destinadas a outros países além dos EUA.

De acordo com a empresa, o desempenho no trimestre reflete a adoção de processos administrativos e operacionais robustos. "Alcançamos ganhos tanto nos indicadores econômicos quanto nos financeiros e temos motivos para confiar que não são resultados momentâneos, apenas reflexo de condições pontuais, mas sim um padrão sustentável", escreveu o CEO da companhia, Salesio Nuhs.

Houve a produção de 309 mil unidades no período, sendo 70% na fábrica brasileira e 30% na unidade norte-americana.

Despesas

O total das despesas operacionais no primeiro trimestre de 2019 registrou alta de 20,9% comparada ao apresentado em 2018. De acordo com a companhia, a alta é decorrente do aumento com despesas com vendas, grupo que incorpora despesas variáveis como comissões, fretes e seguros.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade